No terceiro trimestre do ano, a Samsung deteve uma participação de mercado global de smartphones de 23% com base nas remessas em relação ao ano anterior. A empresa ainda permanece como a campeã de vendas, enquanto suas concorrentes, incluindo Apple e Xiaomi conseguiram aumentar vendas, porém com menor impulso.

A Apple conseguiu até roubar o segundo lugar de Xiaomi. De acordo com a Canalys, a forte demanda pelo iPhone 13 contribuiu para esse resultado.

Contudo, a escassez global de semicondutores atingiu fortemente o mercado de smartphones no terceiro trimestre do ano, revela um relatório preliminar de mercado da Canalys.

As remessas mundiais de smartphones caíram 6% com relação ao ano anterior, mas não mudou muito para a Samsung em relação à participação de mercado. O problema é que os especialistas não sabem o quanto a escassez de chips pode afetar o mercado nos próximos meses

Leia também:

Samsung vai diminuir os descontos nos preços?


Algo é certo: a escassez global de semicondutores não vai diminuir até 2022. Que fez esta afirmação foi o analista principal da Canalys, Ben Stanton.

Os fabricantes de chips aumentaram gradualmente os preços para fechar a lacuna de oferta e demanda, e isso poderia levar a um aumento gradual nos preços dos smartphones.

As marcas de smartphones estão tentando mitigar os danos e atender à alta demanda fazendo mudanças de última hora na cadeia de suprimentos, mas de acordo o Canalyz, isso geralmente leva a falhas de comunicação com os canais de varejo e distribuição.

A situação pode piorar no final do ano, pois a demanda será ainda maior na época das festas de fim de ano. Os estoques já estão diminuindo e alguns canais de varejo relutam em oferecer ofertas de feriados por temerem não ser capazes de cumpri-las.

Será um ano ruim para a Samsung e outras marcas ou o jogo ainda pode virar?