Black Mirror foi uma série voltada para ficção científica que surgiu no ano de 2011 e conta com uma faixa de 5 temporadas com cerca de 50 minutos cada. Não é possível citar um elenco específico justamente porque os episódios são independentes. Ou seja: a cada episódio são personagens e histórias diferentes abordando sobre os riscos da tecnologia que temos nos dias atuais e como fazer para se prevenir.

Alguns fãs argumentam que Black Mirror fala sobre o lado “bizarro” do desenvolvimento científico. Nem sempre analisamos os lados negativos, costumamos apenas analisar os prós de ter a internet. No entanto, no decorrer da série, acabamos ver o quanto as pessoas estão se sentindo obcecadas com isso: em alguns casos, tudo se resume a likes, a quanto outra pessoa gosta ou não da sua rotina. A situação é ainda mais preocupante quando empresas começam a contratar pessoas apenas com boas colocações – e essas pessoas não necessariamente são honestas, apenas fingem gostar das pessoas para que recebam likes delas. Aqueles que não estão dispostos a fingir que gostam ou a aturar algumas coisas apenas por likes, podem até mesmo serem demitidos.

Trailer Black Mirror

Segue, abaixo, um dos trailers do Black Mirror que foram lançados pelo canal da Netflix.

Netflix lançou todas as temporadas?

A série Black Mirror já contava com cerca de 2 temporadas até que, em setembro do ano de 2015, o serviço de streaming decidiu que iria comprar e lançar os próximos episódios. Foi então que começou a trabalhar na terceira temporada e logo depois começou a conversar e flertar com a quarta e a quinta. A série ainda está presente na plataforma e pode ser assistida somente por ela.

  • O valor da Netflix por mês pode variar do plano que preferir. No entanto, para aqueles que preferem assistir em 4K podem optar pelo plano de quatro telas que custa na faixa de R$ 54,90. Vale ressaltar que os planos mais baratos não permitem que os usuários assistam em 4K, sendo apenas o HD e o Full Hd.

Consigo assistir pelo Channel?

O Channel 4 lançou a série antes que ela fosse comprada. Contudo, vale a pena ressaltar que não é possível assistir sem que seja pelo serviço exclusivo da Netflix. Ou seja, os desenvolvedores iniciais não possuem mais direito sobre as imagens e não podem transmitir os episódios em seus domínios – caso contrário, podem responder processos e multas.

Valor de episódios por temporada é fixo?

“A Netflix parece que desanimou para lançar as outras temporadas”. Quem nunca ouviu alguém falar sobre isso em relação ao Black Mirror? Neste caso, a quinta temporada foi lançada somente no dia 5 de junho de 2019 e conta com três episódios e um pouco menos caprichados que os primeiros. Os críticos falam que faltou criatividade enquanto os outros argumentam que as verbas foram destinadas para outros desenvolvimentos que estavam atraindo mais a atenção dos seus usuários e assinantes.

Na temporada quarta, lançada no dia 29 de dezembro de 2017 e a terceira que foi lançada no ano de 2016, contam com seis episódios cada uma. Ou seja, é um pouco mais para te manter entretido por horas e se divertir bastante.

Já nas outras alternativas que foram lançadas pela Chanel, a primeira e segunda temporada, temos apenas 3 episódios cada.

Desenvolvimento

No ano de 2016, Charlie Brooker argumentou que tinha novas ideias para lançamentos das próximas temporadas. Dessa forma, decidiu inovar em alguns episódios que já tinham lançado anteriormente, como é o caso de “White Bear”, que foi bastante aceito pelo seu público. Também tinha o “Be Right Back” que era um dos episódios mais assistidos e que mais chamaram a atenção de críticos do cinema. No entanto, outros desenvolvedores argumentaram que não faria o mínimo sentido querer criar sequências visto que, até então, muitas pessoas gostavam da série justamente pela possibilidade de assistir avulso e entender todo o episódio. Neste caso, a ideia foi recusada e a equipe decidiu que lançaria novos roteiros.

Charlie Brooker já explicou quais são os significados presentes dentro da abertura da série. Ele argumenta que a tecnologia parece ser uma droga e que, assim sendo, é mais que necessário que os seres humanos entendam quais são os seus efeitos colaterais. Black Mirror vem com o objetivo de abordar sobre assuntos que nós, tão acostumados com o bem da tecnologia, muitas vezes acabamos por não ver, como é o caso dos pontos do vício, do desespero por curtidas e até mesmo a revolução das máquinas que estão totalmente contra os seres humanos. Ela veio no momento ideal e, com certeza, vai poder ser usada ainda por um bom tempo porque a tendência é que esses fatores se tornem ainda mais expressivos.

Pelo fato da série ter sido desenvolvida pelos serviços de streaming, acabou não tendo muitos dados de bilheteria e outros aspectos como quantidade de internautas que foram assistir na primeira semana.

Tem livro?

No ano de 2016, o diretor já havia anunciado que a série, após ter sido comprada pela Netflix, seria baseada na obra literária Black Mirror. Desde então, o livro vem se tornando fonte de muitas discussões em relação a assuntos como: até onde estarmos dispostos a ir pela tecnologia? E se uma revolução das máquinas acontecer?

Basta dizer que alguns episódios são utópicos. Entretanto, muitas características deles podem ser observadas em nossa sociedade atual. Um exemplo disso é um dos episódios que um homem casado começa a perder o desejo pela esposa e tem relações sexuais com o amigo pela internet, sem contato. Para ele, aquilo não tem nada de errado e não seria uma traição justamente porque não existe o contato em si.

Então, começa um relacionamento virtual e parece que se sente mais satisfeito com aquilo que ter uma pessoa física do seu lado. Não tarda para que os problemas começam a surgir. Black Mirror não aborda somente sobre a revolução das máquinas, mas também a revolução do nosso comportamento dentro de um relacionamento e como isso pode ser prejudicial para a nossa saúde.