As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Billy Graham: Biografia

billy graham 1 Billy Graham: Biografia

William Franklin “Billy” Graham Jr foi um evangelista, teólogo e pastor batista norte-americano, nascido em uma fazenda leiteira no dia 7 de novembro de 1918, na cidade de Charlotte, na Carolina do Norte (EUA). Ele ficou famoso como conselheiro espiritual de alguns presidentes dos Estados Unidos e também foi membro destacado da Convenção Batista do Sul.

Billy foi o pregador mais popular no mundo e também o que alcançou mais pessoas, se apresentando para mais de 2,5 milhões em suas cruzadas. Com o rádio e a televisão transmitindo as cruzadas de Billy, a partir de 2008, ele superou a marca de 2,2 bilhões de pessoas.

Com muito carisma, ele conseguiu atrair multidões, propagando mensagens por linhas telefônicas ou satélites.

Além de conquistar civis, o pastor ainda se tornou confidente de muitos presidentes na Casa Branca e teve encontros com diversos líderes ao redor do globo.

A associação de Graham afirma que o teólogo levou sua palavra a mais de 185 países e conseguiu converter mais de três milhões de fiéis. Também fez parte de audiências na companhia de autoridades mundiais, como o Papa João Paulo II, e teve sua amizade com a rainha Elizabeth II citada na série The Crown, na Netflix.

Em Londres, no ano de 1966, ele chegou a pregar para quase um milhão de pessoas. Deixando claro que o seu propósito era conquistar o mundo levando sua mensagem.

Em sua vida pessoal, sempre foi discreto, porém, se envolveu em algumas polêmicas devido seus posicionamentos políticos e, muitos criticaram a forma como ele fazia suas pregações.

Fatos sobre a vida de Billy Graham

NomeWilliam Franklin Billy Graham Jr
GêneroMasculino
Famoso comoEvangelista, teólogo e pastor batista norte-americano
NacionalidadeNorte-americano
Nascido7 de novembro de 1918
Falecimento21 de fevereiro de 2018
CônjugeRuth Graham (1943 a 2007)

Quem foi?

William Franklin “Billy” Graham Jr nasceu em Charlotte, na Carolina do Norte (EUA), no dia 7 de novembro de 1918. Sua vida religiosa teve início ainda na infância, pois seus pais o levavam com frequência para a Associação das Igrejas Presbiterianas Reformadas, ainda na Carolina do Norte. Sua conversão aconteceu aos 16 anos de idade, em 1934, após participar de inúmeras reuniões de evangelismo.

Quando William terminou o ensino médio, na Escola Sharon High School, no ano de 1936, ele decidiu ir para a Bob Jones College, em Cleveland, no Tennessee, se transferindo em seguida para o Instituto Bíblico da Flórida, em 1937.

O jovem recebeu seu ordenado no ministério pastoral dos batistas sulistas no ano de 1939. Em 1940 ganhou seu diploma de teologia pelo Florida Bible Institute. Três anos depois, conseguiu sua segunda formação, desta vez em antropologia, pelo Wheaton College, em Illinois.

Com suas formações realizadas, Graham destinou sua vida a pastorear a Igreja Batista de Western Springs. Tempos depois, ele se juntou a uma organização voltada para o ministério da juventude e militares na Segunda Guerra Mundial.

No pós-guerra imediato, Billy se dedicou a pregar em todo o território americano e também na Europa, se tornando o conhecido jovem protestante evangelista por seu trabalho de levar a palavra de Deus até as milhares de pessoas que sofreram perdas irreparáveis e estavam em sofrimento por causa da guerra.

Em 1943, Graham se uniu a Henrietta Mear, jovem que o ajudou na escolha do acampamento criado por ele, o Forest Home Christian Camp, localizado na Califórnia, que reuniu centenas de religiosos.

Esse elemento ajudou a ascensão de seu sucesso, mostrando o lado carismático e discursos contagiantes, após esse feito, o jovem passou a ser convidado para muitos eventos e programas.

Outro evento que garantiu a William fama mundial foi as Cruzadas, realizado em mais de 185 países, usado para levar a evangelização para todos os povos do mundo.

Infelizmente, em 2006, Graham se viu em meio a uma tempestade em sua vida, quando descobriu que estava com Mal de Parkinson. Para cuidar de sua saúde, ele precisou se afastar do trabalho de evangelização, que passou para seu filho Franklin e seu neto Will Graham.

Em seus últimos anos, o teólogo foi diagnosticado com câncer de próstata e pneumonia, tendo vários ossos quebrados pela fragilidade que sua condição de saúde o trouxe. Ambas as doenças se intensificaram ao final da vida e Billy Graham faleceu em 2018, aos 99 anos.

Após a morte, Graham recebeu uma homenagem no Capitólio Americana, sendo apenas o terceiro civil a receber homenagem desse porte. Essa honraria é concedida apenas aos presidentes, políticos e militares. A homenagem foi recebida devido a seu trabalho junto a presidentes e sua vida destinada a ajudar a comunidade.

Durante a homenagem, o ex-presidente Donald Trump se pronunciou, declarando que Graham foi um homem muito importante para a América do Norte e muito especial. Outros políticos também homenagearam o líder religioso.

Relacionamento e família

O teólogo se casou com Ruth McCue Bell em 1943. Após o casamento, a jovem passou a se chamar Ruth Graham. Ruth era filha do missionário presbiterano, L. Nelson Bell, um destacado membro da Presbyterian Church in the United States e cirurgião geral.

O pai de sua esposa teve importante papel em sua vida pessoal e também em sua carreira, pois se tornou um importante mentor.

Billy e Ruth tiveram cinco filhos, dezenove netos e 28 bisnetos. Seus filhos são Franklin Graham, Anne Graham Lotz, Gigi Graham, Ned Graham e Ruth Graham. Anne e Franklin também são evangelistas e assumiram os negócios do pai quando ficou doente.

Ruth morreu na residência da família, em Montreat, na Carolina do Norte, em 14 de junho de 2007.

Carreira

William foi um dos mais populares pastores evangélicos entre os anos de 1940, 1960 e 1970. Consagrando sua carreira após dar início às famosas cruzadas espirituais.

Em 1948, Graham estabeleceu com sua equipe evangelística o Modesto Manifesto. Esse manifesto se referia a um código de ética para a vida e trabalho, com o intuito de se proteger contra acusações de abuso financeiro, de poder ou sexual.

Neste código constam regras para realizar a coleta de doações em igrejas, o apoio apenas de igrejas do evangelismo cooperativo, utilizando estimativas de multidões em eventos e o compromisso de não ficar sozinho com outra mulher que não seja a esposa, ao menos que haja outra pessoa no local.

Billy Graham chegou a alcançar a audiência aproximada de 210 milhões de pessoas, em 185 países dos cinco continentes, durante os eventos evangélicos denominados Cruzadas, que aconteciam em parques e outros locais públicos. O foco das pregações do religioso nessas ocasiões era falar sobre como Jesus Cristo é o único caminho para ser salvo.

Entre os anos de 1948 e 1952, o teólogo foi presidente do Northwestern Bible College, em Minneapolis. Em 1950, ele criou uma organização de evangelização chamada Associação Evangelística Billy Graham.

A cruzada realizada por Graham e considerada o início da evangelização em massa na Austrália aconteceu em 1959, mostrando efeitos consistentes e apontando o crescimento do protestantismo no mundo, através da criação de diversas igrejas em 15 anos.

A última cruzada que Billy participou na América do Norte aconteceu em junho de 2005, no Flushimg Mewadows Park, em Nova York. Em março de 2006, ele ainda organizou o Festival da Esperança.

Com a sua morte, o filho de Billy, Franklin, passou a tomar conta da instituição e cruzadas. O filho de Franklin e neto de Billy, Will, organiza as cruzadas jovens. Com isso, a família cuida do legado criado por Graham e mantém ativo o exército de fiéis conquistados em sua vida.

Vida política

A vida política foi iniciada oficialmente por Billy quando ele foi registrado como membro do Partido Democrata. Porém, ao longo de sua vida, ele preferiu adotar posições flexíveis na hora de escolher seus candidatos, apoiando aqueles com ideias similares às suas.

O religioso mantinha contato com os ex-presidentes Richard Nixon, Kyndon B. Johnson, Bill Clinton, e George W. Bush, entre outros. Durante a campanha de Nixon, por exemplo, Graham ajudou-o na campanha, conquistando o apoio de protestantes evangélicos, principalmente aqueles que seguiam o religioso.

Após a vitória de Richard Nixon, Graham se tornou o conselheiro e confidente oficial do Presidente da época, em 1968. As visitas do teólogo eram frequentes na Casa Branca, dando início nessa época para os serviços religiosos prestados a presidentes.

Após as eleições para presidente dos EUA em 2000, por exemplo, Billy foi chamado dois dias depois para fazer uma oração durante o café da manhã, com George W. Bush, tornando-se oficialmente o religioso responsável pelos atendimentos espirituais do presidente.

Quando os EUA estavam em guerra contra o Iraque, no ano de 1991, Billy foi visto ao lado do então presidente George W. Bush, em posse de uma Bíblia em suas mãos. Na ocasião, ele passou a ser chamado de pastor espiritual da América do Norte e, desde então, sua caminhada ao lado de líderes mundiais se intensificou.

William ainda teve a honra de conhecer Al Gore, a Rainha Isabel II, o Príncipe Phillip, Sarah Palin e muitos outros líderes.

Prêmios conquistados

Ao longo de sua carreira, Graham foi indicado a diversos prêmios e conquistou muitos deles, como o Prêmio Templeton, em 1982. Ele foi indicado na ocasião pela contribuição, ajuda e entendimento inter-religioso. Outra premiação que Billy ganhou foi o Ronald Reagan Freedom Award, em 2020, devido à contribuição para o avanço da liberdade.

No que Billy Graham acreditava?

Conhecido como o Pastor da América, William se tornou conselheiro de presidentes e movimentou multidões pregando uma mensagem muito simples, Arrependa-se dos pecados e aceite Jesus como salvador para renascer. A partir dessa crença básica cristã, ele se tornou uma das personalidades mais influentes dos Estados Unidos, usando além de suas cruzadas, o rádio, televisão e internet para alcançar seguidores.

Através deste homem, a evangelização se tornou um fenômeno e passou a fazer parte da cultura americana. O televangelismo, como foi chamado, criou um estilo de vida cristão totalmente novo, realizando cruzadas religiosas, passando por locais inimagináveis e alcançando um número recorde de pessoas.

Graham acreditava que podia levar a palavra do evangelho para todos, não importasse onde.

Billy acreditava que precisava cumprir sua missão transcendendo as diferenças políticas, ideológicas e culturais. Ele reconheceu em sua vida o impacto e a rapidez da comunicação através das mídias, conseguindo alcançar as pessoas e diversas culturas, conseguindo influenciar as percepções e opiniões de povos, causando impacto na mente de pessoas que, sem a mídia, não poderiam ser alcançadas.

Durante a Guerra Fria, ele visitou a União Soviética em 1982, levando a palavra em igrejas russas e ainda conseguiu se aproximar do líder totalitário Kim II-Sung, da Coréia do Norte, e foi convidado a se apresentar nas igrejas de lá.

Em sua carreira, pode se encontrar com autoridades religiosas como o Papa João Paulo II e ainda se tornou amigo da rainha da Inglaterra, Elizabeth II, com isso, pregou para mais de meio milhão de fiéis em Londres.

Graham tentava transmitir sua mensagem para alcançar os fiéis de forma relevante, tentando transmitir seus sermões de várias formas para conseguir alcançá-los. Por isso, quando possível, ele passou a levar sua palavra também através do rádio.

Billy usou inclusive o cinema para transmitir seus sermões através de filmes para o público que gostava. Assim como também usou da televisão e da internet quando ela alavancou.

Graham se consagrou como um dos maiores comunicadores de seu tempo. Ele usou de forma incansável a tecnologia, os meios de comunicação, a mobilidade, a diplomacia e o relacionamento interpessoal para levar sua ideia e o seu legado durante a era digital. 

você pode gostar também
Comentários