As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Black Friday 2022 não foi das melhores para os varejistas no Brasil

A data oficial da Black Friday 2022 foi 25/11, mas muitas empresas no Brasil não limitam seus descontos apenas a esse dia e estendem estes pelo menos até o domingo. No entanto, nem com essa prática as vendas atingiram o esperado e varejistas podem ter recebido um balde de água fria.

De modo geral, as vendas online terminaram em queda e esse era o ambiente com as maiores expectativas. Por isso, veja mais detalhes sobre o evento sazonal de 2022 e o que marcou a Black Friday desse ano no território nacional, para entender o que houve mais a fundo.

Varejistas insatisfeitos com a Black Friday?

A Black Friday 2022 trazia consigo uma grande esperança de melhora nos números do varejo em geral, mas pode ter sido um balde de água fria para quem tinha a expectativa mais alta. Isso porque os resultados do comércio online, onde se esperava um grande volume de vendas, não atingiu o previsto crescimento em relação ao mesmo período no ano passado.

De modo geral, o único setor que atingiu as vendas esperadas foi o de televisores, muito em função da Copa do Mundo de Seleções FIFA, que sempre atrai olhares atenciosos dos consumidores. Assim, foi mais uma vez comprovado que o evento tem tudo a ver com vendas de televisores, já que este atingiu um crescimento de 51% em unidades vendidas, se comparado com 2021.

As vendas também cresceram em relação ao mês de outubro, um total de 31%, o que mostra que os consumidores esperam a Black Friday para comprar suas TV ‘s novas. Afinal, apenas um jogo da seleção brasileira foi realizado antes da data oficial da promoção, o que foi um certo alívio para os varejistas.

Um fato que pode explicar o fenômeno do não-crescimento das vendas foi o alto volume de pedidos nos sites, mas em produtos de ticket médio baixo. Desse modo, o pessimismo com a data ficou escancarado nas reações da Bovespa quanto às ações das grandes varejistas que atuam no mercado nacional.

As ações da Via, Renner, Magazine Luiza, Americanas e Natura&Co terminaram a sexta-feira em queda, algumas delas apresentando recuo de mais de 6%. Além disso, segundo análise da Confi.Neotrust, as vendas entre o dia 24/11, quinta-feira, até às 19h da sexta, dia 25, caíram em média 30% em relação aos mesmos dias e horários de 2021.

Especialistas afirmam que já era esperado um pequeno volume de vendas na quinta-feira, por conta do jogo do Brasil, mas a queda que persistiu na sexta foi uma desagradável surpresa. Assim, varejistas podem ter tido um dos piores resultados da Black Friday de todos os tempos no ano de 2022.

Nesse período, os varejistas na Black Friday registraram vendas que chegaram a R $3,1 bilhão e cerca de 4,7 milhões de pedidos feitos online. Porém, esses dados revelaram uma queda de 34,18% e 28,24%, respectivamente.

Paulina Dias, head de Inteligência da Confi Neotrust, falou que os números baixos podem ser explicados pelo cenário econômico do país, que não é nada favorável, já que as classes C e D apresentam muitas incertezas quanto ao dia de amanhã.

Na avaliação da especialista, a perspectiva é que o e-commerce termine o ano pelo menos no zero a zero, para a situação não ficar pior ainda para os varejistas quanto às vendas na Black Friday. Logo, a mesma ainda explica que era natural que as pessoas de classes mais baixas que conseguiram juntar um dinheiro, mantivessem o foco na Copa do Mundo.

Alguns estudos revelaram ainda que boa parte da população consumidora no país não acredita mais nas promoções da Black Friday e ainda tem uma visão contrária aos varejistas nesse período. Vale destacar ainda que, no dia 25/11 às 6h da manhã, o Reclame Aqui já registrava centenas de denúncias e queixas de pessoas, na sua maior parte referentes à ofertas falsas.

você pode gostar também
Comentários