As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Black Friday nos Estados Unidos teve crescimento nas vendas online, diferente do Brasil

A Black Friday nos Estados Unidos teve um bom aumento no número de vendas online no ano de 2022. No entanto, o período não foi satisfatório para o mercado brasileiro e Silvio Laban, professor do Insper e especialista em mercado varejista, explica o que pode ter havido.

No Brasil, a queda do faturamento em relação ao período sazonal da Black Friday de 2021 foi de cerca de 25%, indo de encontro à grande maioria das pesquisas feitas antes do evento. Afinal, estas previam um aumento no número de pedidos, receita e ticket médio nesse ano.

Vendas da Black Friday nos Estados Unidos

A Black Friday 2022 foi generosa para as empresas que vendiam online dos Estados Unidos, país responsável pela criação e viralização da promoção em todo o mundo. Isso porque os números chegaram a patamares muito elevados e o resultado surpreendeu o mercado, com um número de US $11,3 bilhões, o equivalente a cerca de R $60 bilhões.

Os números fizeram a Black Friday bater recorde nos Estados Unidos, já que jamais haviam atingido tal volume de vendas, mesmo sendo os criadores na promoção. Então, o resultado foi muito melhor do que o observado no mercado brasileiro, onde houve queda em praticamente todos os dados levantados sobre a sazonalidade.

Segundo dados extraídos do Adobe Analytics, responsável por monitorar transações online, a alta observada nos números da Black Friday nos Estados Unidos cresceram 5,8% em relação a 2021. No Brasil, a queda foi bem maior e chegou a atingir espantosos dois dígitos de decréscimo durante os quatro principais dias do evento, entre 24/11 e 27/11.

Especialista opina sobre diferença de vendas no Brasil e na Black Friday nos Estados Unidos

Especialista em varejo e professor do Insper, Silvio Laban deu mais detalhes sobre os números vistos em ambos mercados. Assim, o mesmo deu a sua opinião sobre a comparação feita entre os dois e aponta o que, para ele, pode ter ocorrido e que pode explicar os números obtidos pelas duas sazonalidades.

Para ele, é difícil comparar os valores e número de vendas entre mercados distintos, afinal o momento financeiro em cada um deles é muito relativo. Veja abaixo fala oficial no mesmo em entrevista à um grande portal de notícias:

“O Brasil está passando por um processo de transição de governo e incertezas sobre o futuro econômico. Além de altas nas taxas de juros, queda na renda, nos salários e uma Copa do Mundo em novembro – tudo no mesmo ano, coisa que nunca aconteceu e pode afetar tudo […]”.

A fala do especialista diz respeito às dificuldades enfrentadas pelo público consumidor e pelas famílias nos últimos meses e sobre a incerteza frente aos primeiros meses de 2023, que refletiu no faturamento do Brasil. Vale apontar ainda que, segundo o CNC (Confederação Nacional do Comércio), oito a cada dez famílias no Brasil estão com dívidas.

Ainda segundo os dados da Confederação, dessas oito famílias observadas nos seus dados, cerca de três estão com suas dívidas em atraso. Então, com tantos números adversos, dá para entender um pouco do porque as previsões do mercado não foram concretizadas, diferente da Black Friday nos Estados Unidos.

Grandes varejistas, como a Magalu (MGLU3), tiveram quedas ainda maiores em dias de jogos da Copa do Mundo FIFA e na própria sexta-feira, mas o impacto não foi tão grande em relação a todo o mês, comparando 2020 e 2021. Assim, a queda foi de apenas 1% nesse período.

Dados da sexta-feira de Black Friday no Brasil

A queda foi ainda mais espantosa nos números das vendas na Black Friday durante a sexta-feira, 25/11, data oficial da promoção em 2022. Logo, o Brasil somou cerca de R $3,1 bilhões em faturamento, o que representou uma queda de cerca de 28%, em comparação com o dia oficial da promoção no ano de 2021.

Vale destacar que alguns estudos já apontavam uma certa insatisfação e descrença dos consumidores quanto ao evento no Brasil, o que não ocorreu durante a Black Friday nos Estados Unidos. Com isso, a promoção no país registrou quase mil reclamações apenas na sexta-feira e o número de pedidos durante todo o período caiu cerca de 12% esse ano.

Em comparação com o faturamento dos últimos anos, o evento em 2022 só cresceu em relação ao ano de 2019 e este não foi tão alto. Por isso, caiu se comparado a 2020 e 2021, o que causa espanto, já que o crescimento vinha sendo baixo, mas existia. Na sexta-feira, foi visto uma queda de 2020 para 2021, que tiveram 4,36 e 4,34 bilhões de reais em vendas e em 2022 a queda foi de mais de R $1 bi se comparar com estes dois anos.

você pode gostar também
Comentários