Van Gogh Autorretrato Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Autorretato – 1889 / Van Gogh Via Wikipédia

Van Gogh é um dos mais importantes pintores de todos os tempos, que chama a atenção pela produção de quadros expressivos, capazes de expressar seus sentimentos, e muitas vezes sua própria confusão mental, como é o caso de muitos de seus autorretratos.

Ao contrário de outros gênios, em outras áreas, como é o caso de Albert Einstein dentro da ciência, Van Gogh não foi reconhecido quando era vivo, tendo seu trabalho sempre observado com um olhar de reprovação pelo público, uma vez que não se encaixava nas tendências da época, e era pouco compreendido.

Depois de sua morte, porém, seus quadros e seus outros trabalhos, como cartas e desenhos, começaram a ganhar o mundo, tornando o pintor em um dos mais reconhecidos e memoráveis que já existiram.

Fatos Rápidos sobre a vida de Van Gogh

NomeVincent Willem Van Gogh
GêneroMasculino
Famoso comoPintor
NacionalidadeHolandês
Signo do zodíacoÁries
Nascimento30 de março de 1853
Falecimento29 de julho de 1890
Conhecido por criarNoite Estrelada
Os Comedores de Batata
Os Girassóis
Autorretrato
Campo de Trigo com Corvos
O Quarto em Arles
Causa da MorteSuicídio ou Assassinato

Quem é Van Gogh?

Vincent Van Gogh é um pintor holandês que viveu entre os anos de 1853 e 1890, e embora tenha grande destaque atualmente, não conseguiu obter todo esse reconhecimento ainda em vida, sendo verdadeiramente compreendido e vangloriado alguns anos após sua morte.

Diferentemente de outros pintores, como é o caso de Leonardo da Vinci, por exemplo, que conseguiu fazer fama e fortuna com seus trabalhos, sendo considerado um gênio da arte quando vivo, Van Gogh realmente não experimentou esse prazer, que ele tanto buscava.

Sua obra mais conhecida é “Noite Estrelada”, que se soma ao seus quase 900 quadros que ele pintou em seus últimos 10 anos de vida, entre os 27 e os 37 anos de idade, sendo que a grande parte realmente, pintou depois de seus 34 anos.

Embora não se saiba exatamente qual era sua doença, ele possuía algum quadro psiquiátrico, tendo inclusive se internado voluntariamente em um internato na França, onde continuou pintando seus quadros. Vale lembrar, porém, que ele nunca pintava quando estava com alguma crise, esperando sempre estar totalmente lúcido para iniciar ou finalizar suas obras.

Como foi a infância de Van Gogh?

Van Gogh, como é conhecido Vincent Willem Van Gogh, nasceu exatamente no dia 30 de março do ano de 1853, em uma família de classe média alta, no território atualmente chamado informalmente de Holanda. Para ser mais preciso, ele nasceu em Zundert, na Brabante do Norte, nos Países Baixos, que é o próprio território holandês.

As boas condições em que vivia a família de Van Gogh se deve, principalmente, a atuação de seu pai, Theodorus Van Gogh, que era um pastor de uma importante igreja da época, a Igreja Reformada Neerlandesa; e também de sua própria mãe, que já era de uma família bastante rica do território de Haia.

Um fato interessante sobre a vida da família era que não era o próprio salário que o pai recebia na igreja que era alto, mas sim as condições que ela oferecia, uma vez que fornecia ao pastor empregados, transporte, casa, etc, permitindo que ele vivessem e pertencessem realmente a alta classe.

Van Gogh teve ainda mais cinco irmãos: Anna Cornelia Van Gogh, Cornelis Vincent, Willemina Van Gogh, Elisabeth Huberta Van Gogh, e Theodorus Van Gogh, que era o irmão mais novo do pintor, ao qual chamavam apenas de Theo, com o qual ele teve uma melhor relação, e também possui uma importância inestimável sobre tudo o que se conhece sobre Van Gogh.

O famoso pintor desenvolveu seu gosto pela pintura desde muito jovem, quando era realmente criança, mas sua infância infeliz o moldou de uma forma totalmente incorreta, trazendo efeitos por toda a sua vida. A causa de sua infelicidade era justamente os internatos pelos quais estudou, sempre longe de sua família, estando sempre só, aumentando ainda mais sua seriedade, que já carregava desde jovem, e sua entrada para o mundo da pintura ocorreu apenas muitos anos mais tarde.

O irmão natimorto de Van Gogh 

Uma passagem interessante sobre a vida do pintor, ocorreu ainda antes de sua chegada ao mundo, exatamente um ano antes de seu nascimento, que foi o seu irmão natimorto, também chamado Vincent Van Gogh.

Precisamente no dia 30 de março do ano de 1852, chegava ao mundo Vincent Van Gogh, um irmão natimorto, que nasceu morto, do pintor. Sua mãe, alguns meses depois, acabou engravidando novamente, e exatamente nesse mesmo dia do mês, 30 de março de 1853, acabou nascendo o pintor.

Sua mãe decidiu nomear o garoto com o mesmo nome de seu filho natimorto, Vincent Van Gogh, e isso foi uma das causas que mais abalaram o psicológico do incompreendido e louco pintor.

Van Gogh costuma ficar perto da sepultura de seu irmão, com seu mesmo nome, e essa infeliz coincidência lhe tirou a paz por um longo período, sendo o pontapé inicial para o desenvolvimento de algumas doenças que ele carregou ao longo de sua vida, sendo depressivo e também louco.

Por que Van Gogh era tão infeliz?

Não é difícil notar, ao estudar sobre a vida de Vincent Van Gogh, que ele teve realmente poucas passagens felizes em sua vida, estando, na maioria das vezes, triste, infeliz e insatisfeito com sua situação. Um dos momentos onde ficou mais feliz foi com o início de sua vida adulta, quando ele completou 16 anos de idade, e passou a trabalhar como vendedor de quadros, em uma empresa de arte de um tio seu, trabalhando lá por seis anos em Londres, até 1875.

O fim desse trabalho ocorreu devido a um amor mal correspondido que ele teve por Eugénie Loyer, o consequente aumento de seu desejo de seguir uma vida religiosa, assim como seu próprio pai, e também ele começou a discordar da forma como a arte era comercializada, e acabou mudando-se para Paris.

Van Gogh tentou por duas vezes entrar para o curso de Teologia, para dar início a sua vida como pastor, mas fracassou em ambas tentativas, e quando finalmente foi enviado para a Bélgica, para ser um missionário em um pequeno povoado, conheceu toda a miséria do povo, e mesmo participando de uma congregação muito pobre, sempre ajudava, com seu próprio salário, aos necessitados, sendo dispensado se permitir viver em condições muito precárias.

Depois, Van Gogh, incentivado e financiado por seu irmão Theo, acabou também começando sua vida como pintor, mas era totalmente incompreendido, e de todas as suas artes, conseguiu vender apenas um quadro em vida, sendo realmente um verdadeiro fracasso em tudo o que tentou fazer.

E isso tudo sem falar em suas doenças mentais, sendo inclusive internado por isso, seu vício em uma bebida alcoólica, suas crises de fúria, sua incapacidade de se manter financeiramente, sendo financiado por seu irmão, etc. Tudo isso causou uma profunda infelicidade e depressão em Van Gogh.

Qual foi o único quadro que Van Gogh vendeu em vida? 

Van gpgh a vinha encarnada Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Via Wikipédia

Embora seja um dos pintores mais importantes de todos os tempos, Vincent Van Gogh não gozou dessa fama ainda em vida, tendo seu trabalho reconhecido apenas alguns anos após sua morte, o que realmente foi uma grande injustiça. Seu irmão Theo era quem buscava vender suas obras, mas os compradores nunca demonstraram muito interesse em suas criações.

Segundo se consta, apenas uma de suas obras foi comercializada enquanto o pintor estava vivo, e foi o quadro “A Vinha Encarnada”, do ano de 1888, e que mostra novamente o trabalho de camponeses, a vida rural e a natureza, que eram temas que o cercavam e que ele gostava realmente de retratar.

A compradora do quadro foi a também pintora Anna Boch, que era da Bélgica, e que acabou se interessando pela obra, comprando por cerca de 400 francos na época, que era a moeda antes do Euro, mas que ainda existem algumas variações, como o franco suíço.

A importância de Theo na vida do pintor

Durante a infeliz vida de Van Gogh uma presença sempre se manteve constante, sendo o único e verdadeiro amigo e companheiro do artista, mesmo vivendo longe, era a pessoa mais perto que ele conseguiu ter em toda a sua trajetória, que era o seu irmão mais novo Theodorus, conhecido apenas como Theo.

Theo teve uma importância não apenas durante a vida de Van Gogh, mas também depois de sua morte, com uma ligação realmente impressionante, e com um cuidado capaz de invejar a qualquer família.

Por fracassar em todos os seus projetos, Vincent nunca conseguiu se sustentar e para isso sempre teve o apoio de Theo, que embora fosse mais novo, conseguiu formar sua família e criar uma boa condição de vida para eles, e era justamente ele quem mantinha tudo para Van Gogh, desde sua roupa, sua comida e sua estadia. 

Além do mais, foi o Theo que incentivou o irmão a pintar, financiando também o material para seus quadros e tintas que ele usaria no processo, e inclusive se comprometendo em vender seus quadros, o que infelizmente não era feito com muito frequência, já que o artista era muito fora dos padrões da época.

Fora todo esse apoio financeiro em vida, Theo tem ainda um papel fundamental após a morte de Van Gogh, isso porque enquanto vivos eles trocaram milhares de correspondências, afinal tinham uma forte ligação e se correspondiam muitas vezes. E é justamente devido a essas correspondências que se conhece a vida alguns pontos importantes sobre a vida artista atualmente, onde os pontos que não são mencionados nas cartas, são um completo mistério, como a sua morte, e também a passagem onde ele perdeu uma orelha. A ligação entre eles era tão forte que Theo também acabou falecendo após a morte do irmão.

Como Van Gogh perdeu uma orelha?

Uma das passagens mais misteriosas da vida de Van Gogh foi justamente quando ele perdeu uma orelha, isso porque o contexto em que isso aconteceu é um completo mistério, e não se sabe exatamente o que ocorreu, mas, fato é que realmente ele acabou tendo uma orelha cortada.

Van Gogh vivia na chamada Casa Amarela em Arles, na França, quando recebeu a visita do pintor chamado Gauguin, no ano de 1888, onde começaram a dividir o mesmo quarto e  a fazer alguns trabalhos juntos. Porém, Gauguin não tratava Vincent com igualdade, se sentindo superior a ele, o que começou a criar uma crise na amizade.

Esse é uma passagem misterioso, mas com Gauguin planejando ir embora de Arles, o incidente acabou por acontecer, onde Van Gogh teve sua orelha esquerda cortada por uma lâmina, não se sabe em uma briga com o amigo, ou se foi Gauguin quem a cortou. Porém, a teoria mais contada é de que ele tenha se automutilado, cortando sua própria orelha. Depois do incidente, ele e o amigo nunca mais se encontraram novamente, embora tenham trocado cartas algum tempo depois. 

O mistério sobre o ocorrido se deve ao fato de Van Gogh não ter nenhuma lembrança sobre o que aconteceu, onde muito provavelmente tenha passado por algum surto psicótico, e perdido as memórias sobre a verdade, deixando esse ponto de interrogação.

Ainda sobre isso, outro fator que mostra a mente perturbada do artista é o fato dele ter embrulhado sua orelha e enviado para uma amiga, que havia conhecido em um bordel da cidade. Esse fato, por si só, já mostra o quão psicótico era realmente o pintor, que mesmo assim tornou-se um dos mais importantes e conhecidos artistas da história da humanidade, mesmo sem receber nenhum crédito em vida.

Van Gogh teve esposa e filhos?

Além do seu desejo de viver de sua arte, Van Gogh também alimentava outro desejo, que infelizmente não conseguiu realizar, que era o de formar sua própria família, casando-se e tendo seus filhos.Bem, mas como foi possível observar, o pintor não conseguiu atingir o sucesso ainda em vida, não conseguindo nem mesmo prover seu próprio sustento, sendo mantido por seu irmão Theo.

Embora isso, ele alimentou várias paixões, tendo um gosto muito peculiar por mulheres viúvas, e tendo se relacionado inclusive com algumas prostitutas, mas sem nunca ter seu amor totalmente correspondido ou conseguindo formar aquilo que tanto queria, sua família.

Fora todas as especulações que existem sobre essa parte de sua vida, a história mostra que Van Gogh não teve filhos, e também nunca se casou. Sendo assim, não teve um herdeiro para levar todas as obras que ele havia pintado nos últimos dez anos de sua vida, aos quais se dedicou à pintura.

Essa também é uma passagem que contribui diretamente para a infelicidade de Van Gogh, já mencionado aqui nesse artigo, uma vez que foi mais um de seus objetivos que ele não conseguiu alcançar, contribuindo diretamente para o aumento de sua tristeza. Afinal, era um de seus grandes sonhos, tão quanto de se tornar um grande pintor, tendo sua arte reconhecida, e de conseguir ter seu sustento próprio, atuando naquilo que realmente lhe fazia feliz.

Quais são as principais obras de Van Gogh?

Ao longo de seus 10 anos dedicados à arte, Vincent Van Gogh conseguiu deixar um catálogo de obras realmente gigantesco, com cerca de mais de 2.000 trabalhos, dentre os quais se destacam seus quase 900 quadros, muitos voltados a natureza, as paisagens, flores, como girassóis, autorretratos, etc. No entanto, algumas delas se destacam entre toda essa quantidade, como é o caso desses exemplos:

Noite Estrelada

Van Gogh Noite Estrelada Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Via Wikipédia

Essa é a obra mais famosa de Van Gogh, criada por ele no ano de 1889, e traz uma das passagens mais marcantes de sua vida, que foi o período onde ele ficou internado em um sanatório na França, buscando tratar de seus problemas mentais. A obra chama a atenção pela expressão que ela consegue passar, e foi feita de memória.

Os comedores de batata

Van Gogh Os comedores de batata Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Via Wikipédia

Essa é outra importante obra de Van Gogh, criada no ano de 1885, e que busca retratar de uma forma realista a vida dura dos camponeses de sua época. Na cena, eles aparecem sentados à mesa, comendo as batatas que haviam plantado.

Autorretrato

Van Gogh Autorretrato Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Via Wikipédia

Durante sua carreira, Van Gogh pintou diversos autorretratos, mas esse, pintado em 1889, ganha destaque justamente por carregar toda a confusão da mente inquieta do pintor, como se ele estivesse realmente preso a seus pensamentos e a suas inquietudes, passando esses sentimentos através de sua tela.

Campo de trigo com corvos

Van Gogh Campo de trigo com corvos Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Via Wikipédia

Fora toda a vivacidade das cores, com destaque para o amarelo do trigo e do azul escuro do céu, esse quadro é um dos mais emblemáticos do pintor, justamente porque, muito provavelmente, seja sua última obra, mostrando já seus pensamentos finais, com esse passagem entre os trigos, onde não há saída, retratando justamente o fim, sem remediações para o seu sofrimento.

O quarto em Arles

Van Gogh O quarto em Arles Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Via Wikipédia

Arles foi um período também muito importante para a vida de Van Gogh, onde ele ficava hospedado na chamada Casa Amarela, e sobre o seu quarto, onde ele dormia, acabou realizando algumas pinturas, sendo a mais famosa delas a do ano de 1888, mostrando, além do quarto em si, retratos na parede, dele e de outros amigos que ele tinha.

Os Girassóis

Van Gogh Os Girassois Biografia Van Gogh: (1853 - 1890)
Via Wikipédia

A natureza-morta é um dos grandes destaques na vida e obra de Van Gogh, e os girassóis fazem parte daquilo que ele mais gostava de retratar, tendo realmente muitos quadros sobre essa flor. No entanto, o quadro de 1888 é o mais famoso dessa seção, tendo um valor realmente gigantesco. A obra possui variações de amarelo, com toques de verde, sempre em uma tonalidade vívida, o que realmente chama a atenção de quem observa.

Qual era o estilo das obras de Van Gogh?

Van Gogh não se encaixa em nenhum estilo específico, no período, estavam acontecendo as correntes expressionistas e impressionistas, e o pintor realmente não tinha um gosto específico por nenhuma delas, ao menos no sentido de seguir todas as regras que eram impostas pelas escolas.

Assim, ele tinha um estilo próprio, ao qual os estudiosos chamam de pós-impressionismo, marcando a saída desse estilo, e inspirando os pintores que viriam depois dele.

Claro que durante a vida, suas obras sem regras não agradavam muito bem o público, o que não lhe deu realmente fama alguma. Seu reconhecimento veio apenas depois de sua morte, o que é algo bem triste sobre a vida do pintor.

Na parte final de sua vida, após pintar “Os comedores de batatas”, de 1885, ele começou a focar muito em cores primárias e secundárias, ou seja, cores mais puras, sendo o período onde ele mais produziu obras. Um detalhe importante é que ele começou a pintar já em seus últimos 10 anos de vida, isto é, com 27 anos de idade. Mas, a grande maioria das obras foram criadas realmente nos últimos 3 anos.

Ao considerar a grande quantidade de quadros que ele pintou, tudo isso deve-se a sua técnica com pinceladas mais firmes, o que permitiu fazer obras em uma velocidade realmente gigantesca, uma vez que sua expressão não estava ligada a linhas muito bem traçadas, sendo um conjunto como o todo o seu objetivo principal.

Qual o nome do filme de Vincent Van Gogh

A história de Van Gogh chama tanto a atenção quanto seus quadros em si, sendo uma parte importante presente em suas obras, exprimindo justamente seus sentimentos, suas emoções e seus pensamentos em seus quadros. Com isso, sua história acabou ganhando mais que merecidas homenagens com produções posteriores, sendo a mais conhecida delas, o filme “Com Amor, Van Gogh”, que foi criado em 2017.

Com Amor, Van Gogh

O filme é uma animação produzida totalmente através da pintura, onde foram necessários mais de 65.000 quadros para ilustrar toda a obra. Para isso, mais de 100 pintores participaram do projeto, encabeçados pela pintora e diretora Dorota Kobiela.

A obra trata justamente de diversas obras do artista, cruzando todo o enredo por algumas de suas mais importantes telas, como o campo de trigo com corvos, mas trazendo como temática uma carta que Van Gogh escreveu para seu irmão, Theo, um pouco antes de sua morte, mas que nunca chegou a ser entregue realmente.

Lançado em 2017, o filme de animação foi muito bem recebido pela crítica e também pelo público, sendo indicado e vencendo diversos prêmios importantes, como nos festivais de Shanghai, de Ostend Belgium, de Animasyros, de Vancouver, e de Annecy. E sendo também indicado como o melhor filme de animação ao Oscar.

O filme pode ser assistido diretamente através do Amazon Prime Video, que é o serviço de streaming da Amazon, que também faz muito sucesso em todo o mundo, e que possui “Com amor, Van Gogh” em seu catálogo.

No Portal da Eternidade

Outro filme que também trata da vida de Van Gogh, é “No Portal da Eternidade”, lançado no ano de 2018, e que chegou no Brasil no ano de 2019, e que também chama a atenção por ser uma grande produção, com um elenco de peso, onde o próprio Willem Dafoe, famoso por interpretar o Duende Verde, na franquia do Homem-aranha, dentre outros, interpreta o pintor Vincent Van Gogh.

O filme chama a atenção muito também pela interpretação de Dafoe, que foi inclusive indicado ao Oscar e também ao Globo de Ouro pela sua brilhante atuação no papel principal. De uma forma geral, a obra trata sobre a vida do pintor, permeando também por vários de seus principais momentos.

O melhor de tudo, é que assim como “Com amor, Van Gogh”, o filme “No portal da eternidade” também faz parte do catálogo da Amazon Prime Video. Assim, com a assinatura do serviço, já é possível acompanhar esses e outros filmes e séries do streaming da Amazon.

Quando e como morreu Van Gogh?

Depois de passar uma vida de decepções, sem conseguir atingir seus objetivos, acumulando fracassos atrás de fracassos nas coisas que tentava alcançar, a história em vida de Van Gogh chega ao fim no ano de 1890.

Essa é outra passagem misteriosa da vida do pintor, uma vez que não há como se ter certeza do que realmente aconteceu. Ele vivia ainda na França, agora em Auvers Sur Oise, e embora tenha morrido através de um tiro no peito, disparado por um revólver, não se sabe exatamente a autoria.

Muito se especula que tenha sido um suidídio, mas alguns estudiosos também trabalham com a possibilidade de um assassinato. No entanto, quando se fala na morte do pintor, é comum se referir ao acontecido com um suicídio realmente, sendo essa a teoria mais aceita.

Entre os dias 27 e 28 de julho de 1890, muito provavelmente enquanto estava pintando um de seus quadros ao ar livre, ele tenha disparado um tiro em seu peito, o que não acabou o vitimando no mesmo momento, mas ocasionou sua morte pouco depois.

Incrivelmente, o projétil não acertou nenhum de seus órgãos, mas perfurou seu peito e ficou alojado em seu corpo, onde os médicos não conseguiram realizar a extração em um tempo hábil.

Ele pegou uma infecção do tiro e acabou vindo a óbito cerca de 30 horas passadas do ocorrido, no dia 29 de julho do ano de 1890, quando tinha apenas 37 anos de idade, sem ter seu merecido reconhecimento, que veio apenas muitos anos após sua morte.

Na manhã em que morreu, Van Gogh conseguiu ainda ver seu irmão Theo, que foi visitá-lo no hospital, conseguindo assim se despedir de seu único e verdadeiro amigo, que havia o homenageado colocando o nome de seu filho com o mesmo nome do pintor.

Quem herdou todos os quadros de Van Gogh?

Como já mencionado, Van Gogh nunca teve filhos ou esposa, e com seus pais já mortos, também não tinha um herdeiro direto para deixar ao menos suas obras, tendo em vista que ele não tinha outras riquezas para deixar.

Seu irmão e parceiro, Theo, já tinha a intenção de fazer um trabalho mais ativo ainda sobre a divulgação das obras do irmão, e inclusive de editar todas as cartas que haviam trocado em sua vida, para que todos pudessem conhecê-lo melhor, e foi justamente o próprio Theo quem acabou herdando todas as obras de Van Gogh.

Infelizmente, sua saúde também já não era das melhores, e com a perda de seu fiel companheiro, acabou debilitando-se ainda mais, vindo a falecer após contrair sífilis, ainda no ano de 1891, apenas um anos após a morte de seu irmão.

Com isso, entra em cena outra personagem importante na história de Van Gogh, sua cunhada Johanna Van Gogh Bonger, que era a esposa de Theo, e que acabou sendo a verdadeira herdeira de suas obras, e responsável por toda a divulgação e prosseguimento das idéias de seu marido.

Até a sua morte, em 1925, ela se dedicou a divulgar as obras e também a publicar as cartas de Van Gogh, sendo a grande responsável por dar reconhecimento ao talento do pintor. E mesmo depois de morrer, passou o bastão ao seu filho junto com Theo, que era sobrinho de Van Gogh, e que também tinha seu mesmo nome, Vincent Willem Van Gogh, e responsável por criar o Museu Van Gogh, em Amsterdã, no ano de 1973.

O Museu Van Gogh

Após sua morte e dedicação intensa de Johanna para divulgar as obras do cunhado, não demorou muito para que a genialidade de Van Gogh fosse merecidamente reconhecida. Seu legítimo sobrinho, filho de Theo e Johanna, Vincent Willem Van Gogh deu continuidade ao trabalho, sendo o herdeiro direto das obras de seu tio.

Em 1973, decide doar todas as obras para a fundação do museu em homenagem ao pintor, surgindo então o Museu Van Gogh, em Amsterdã, ao qual a família ainda tem uma atuação direta, atualmente com outro Vincent Willem Van Gogh na direção, que é neto do sobrinho do pintor, e um dos herdeiros de todas as obras.

De uma forma geral, são algo em torno de 1.400 obras que fazem parte do acervo do museu, sendo quadros, cartas e desenhos feitos pelo pintor, e que fazem realmente muito sucesso, com milhares de visitas anuais, e o mais importante local de divulgação das obras de Van Gogh.