As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Biografia Ruth Rocha

Ruth Rocha

Ruth Rocha é uma escritora brasileira, que escreve principalmente obras do gênero infantil. Faz parte a Academia Paulista de Letras e se tornou conhecida principalmente depois de lançar seus primeiros livros e agradar os pequenos.

Se formou em sociologia e política, e trabalhar como educadora no Colégio Rio Branco. Desde muito cedo, sempre teve paixão pela leitura e gostava de contos clássicos, principalmente Monteiro Lobato.

Ao longo de sua vida, foi se influenciando por outros escritores infantis e com isso, seu jeito de escritora também mudou, reformulando parte de suas características literárias. Segundo a própria escritora, o humor sempre fez parte de seu trabalho.

Além disso, considera sua arte uma forma de trazer para a realidade o imaginário. Ruth Rocha tem essa sutileza de trazer e unir essas duas coisas. Para saber mais e conhecer um pouco da carreira de Ruth Rocha, continue lendo.

Fatos rápidos sobre a vida de Ruth Rocha

NomeRuth Machado Lousada Rocha
GêneroFeminino
Famosa comoEscritora e tradutora
NacionalidadeBrasileira
NascimentoDia 2 de março de 1931 (91 anos)
CônjugeEduardo Rocha
FilhosMariana

Quem é Ruth Rocha?

Ruth Rocha é uma escritora do gênero da literatura infantil, que ficou conhecida por suas histórias voltadas para crianças. Algumas delas rodaram o mundo, e toda a sua característica para tratar com crianças assuntos mais profundos, faz de seu trabalho algo realmente precioso.

A escritora, natural de São Paulo, cresceu em uma família grande, mas que sempre a apoiou em seguir seus sonhos. Quando se tornou escritora, por uma brincadeira de uma amiga, teve como inspiração principal sua própria filha, que despertou nela a vontade de conversar sobre assuntos mais densos com crianças.

Mariana, sua filha sempre teve dúvidas relacionadas a sociedade que eram incomuns de se ter como assunto em livros infantis. E então Ruth Rocha resolveu investir nessa linha e criou materiais voltado para essa didática.

Com muita prática em tratar de sociologia, para Ruth era fácil abordar o assunto, a dificuldade estava em moldar isso para crianças. Mas com toda sua base e conhecimento e gosto pela literatura infantil, o processo foi simples e adaptativo.

Muitas de suas obras, caíram no gosto da criançada. Seu best-seller “Marcelo, Marmelo, Martelo”, foi uma das grandes obras da sua carreira. Foi traduzido e enviado a diversos países, completando um total de setenta edições, com mais de 20 milhões de cópias vendidas.

Outras histórias que fazem parte dessa mesma edição e fizeram sucesso tanto quanto a outra história, foi “O reizinho mandão”. Que levou o prêmio internacional Hans Cristian Anderson. Além de vários outros que também ficaram igualmente conhecidos.

Ruth Rocha: infância e juventude

Desde muito pequena, Ruth Rocha já demonstrou muito interesse pela literatura e leitura de uma forma geral. Sempre foi a garotinha que gostava de passar horas lendo diversas histórias, dos mais variados tipos, mas principalmente os contos clássicos.

Crescem em São Paulo, e sua mãe Esther, sempre lhe contou muitas histórias e lia livros enquanto era pequena e não sabia ler. Assim escolheu como um de seus principais livros, as “Reinações de Narizinho: a Irreverência de Emília”, obra de Monteiro Lobato a quem sempre admirou.

Toda essa necessidade de leitura, lhe influenciou a seguir nessa carreira e se tornar uma escritora. Conforme foi crescendo, foi adaptando seu estilo de leitura, inclui arte, política, e mesmo ao ler assuntos mais pesados, sempre conseguiu recriar de forma bem humorada, assuntos dessa profundidade, ligando a realidade a imaginação.

Essa acabou se tornando uma das principais características de Ruth Rocha, que mais tarde começou a pensar sobre essa linguagem e como seria sua foram de se expressar e escrever.

Se formou em Ciências Sociai se Políticas, pela Escola de Sociologia de São Paulo. E trabalhou como orientadora educacional entre os anos de 1957 e 1972, no colégio Rio Branco.

Desde essa época, passou a fazer uma coluna sobre educação para a revista Claudia. Onde conseguia mostrar sua visão moderna sobre o assunto, principalmente conseguindo se expressar de maneira livre e clara. Com isso, foi ganhando relevância e chamando atenção, até que foi convidada para escrever em outra revista.

Início de carreira

Nesse caso, essa revista tinha um público mais infantil e se tornou um grande diferencial em sua carreira. Em 1973, passou a trabalhar como editora e depois coordenadora para a editora Abril, fazendo todo o trabalho de seleção e publicações infanto-juvenil.

Foi nessa fase de sua vida, começou a construir o seu estilo literário e então selecionar as palavras para poder se expressar e lançar seu primeiro trabalho. Sempre teve um estilo mais coloquial, direto e gracioso, sendo também ao mesmo tempo muito expressivo e livre. Durante boa parte de seu trabalho, junto de outros autores, trabalhou em parceria, o que dava uma cara nova a sua escrita.

O trabalho de Ruth Rocha sempre fez parte da literatura infantil, e tudo começou um desafio criado por sua amiga Sônia Robato, quando desafiou Ruth a escrever uma história infantil para a revista Recreio. A história deveria ter como tema, as inquietações de sua filha e assim, Ruth fez.

Em alguns anos, sua história foi publicada, assim como várias outras nos anos seguintes. Segundo a própria escritora, sua filha nunca foi fã de histórias convencionais.

Clássicos como “Chapeuzinho Vermelho” ou Cinderela”, nunca lhe impressionaram, suas questões eram mais profundas, mais sociais. e devido aos seus vários questionamentos sobre coisas da vida, criar uma história que falasse de preconceito, ou de diferença de classe social fatia mais sentido.

A história criada para a revista Recreio nessa época foi nesse estilo. E desde então se encontrou. Nunca se sentiu bem escrevendo para adultos, e assim como publicou seu primeiro trabalho, em 1973, a editora em que trabalhava já estava interessada em mais de seu trabalho.

Principais obras

As primeiras obras criadas por Ruth Rocha, foi de fato em 1976, chamado de “Palavras, Muitas Palavras”. Que em seu discurso tinha um tom coloquial, junto de imagens complementares que conseguiam fazer com que as crianças pudessem lidar com um assunto mais denso, de forma divertida e tranquila.

Seu segundo livro foi um clássico, conhecido pelos adultos também. “Marcelo, Marmelo, Martelo”. Se tornou um grande best-seller de Ruth Rocha, sendo traduzido inclusive para diversos outros países.

Foi então que começou a fazer parceria e em 1988, junto de Otávio Roth, lançaram em Nova York a “Declaração Universal dos Direitos Humanos para Crianças”, na própria sede da Organização das Nações Unidas.

A obra embora pareça série, é de gênero infantil, e faz com que as crianças consigam refletir sobre diversos assuntos sociais que abrangem o mundo. O livro acabou se tornando um indicador para Ruth Rocha fosse eleita par afazer parte da Academia Paulista de Letras.

Com isso, a Comenda da Ordem no Ministério da Cultura, condecorou a escritora, no mesmo ano.

Ao longo de sua carreira, recebeu muitos prêmios, principalmente relacionados aos críticos de arte, Prêmio Jabuti, e da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Com mais de 50 anos atuando nessa área, seu envolvimento com a literatura infantil, a permitiu publicar mais de 200 histórias diferentes.

Grande parte de suas obras foram traduzidas em outras línguas para outros países, e assim, Ruth Rocha também se dedicou parte de sua vida e carreira a ser uma tradutora.

Seu trabalho como tradutora não envolvia apenas suas obras, mas sim diversas obras infanto-juvenis que trouxe para o Brasil. Além disso, também atuou na criação de vários livros para crianças, didáticos, que tinham como intuito ensinar.

Muitas bibliotecas espalhadas pelo Brasil levam o seu nome como homenagem, inclusive em vários estados diferentes.

As obras mais importantes de Ruth Rocha

Durante sua carreira, ao lançar algumas histórias que foram importantes, seu estilo conseguiu ficar ainda mais forte. Em 1976, ao lançar “Palavras, Muitas Palavras”, que foi o seu primeiro livro, Ruth Rocha conseguiu marcar pelo seu estilo direto e gracioso de contar uma história para crianças.

Mesmo conseguindo se expressar de forma sútil, o livro mostrou muito de seu trabalho, e de como é possível incrementar a literatura infantil no Brasil. Atualmente, grande parte das crianças que ainda se interessam pela leitura, querem conteúdo mais inteligente e de respeito.

Não precisa ser um conteúdo ou história chata, ou muito superficial. Por isso, Ruth Rocha sempre conseguiu mesclar muito bem essas duas coisas, envolvendo assuntos reais, com a imaginação, fazendo a relação entre o imaginável, e o assunto palpável.

É uma brincadeira extremamente interessante de fazer, para despertar o senso crítico em crianças maiores. Além de despertar a liberdade de se expressar, sem deixar de lado a fantasia.

Com isso, seu segundo sucesso, “Marcelo, Marmelo, Martelo”, se tornou um dos seus maiores editoriais lançados. Bateu recordes de vendas e fez com que a escritora se consagrasse e recebesse diversos prêmios.

Além disso, a obra fala muito sobre a vida de crianças que vivem na cidade. E ao longo da história, descobrem coisas novas, percebem que podem ser mais espertos. Com isso, surgem novas palavras e entrar outros personagens que agregam e deixam a história ainda mais rica.

Sem contar que também pode ser interpretada como um grande marco para falar sobre a importância de ter amigos. Todo o processo de fazer e manter uma amizade divertida e saudável.

O livro se mantém com uma história tão comum sobre um menino curioso e ao mesmo tempo desperta ainda mais a imaginação. Principalmente quando o personagem decide dar nome as coisas. Os próprios pais de Marcelo na história entendem o que ele quer fazer e o que ele fala e no meio disso tudo, um acidente grande acontece.

É ideal para ler para crianças que estão aprendendo o nome das coisas, dos objetos e Ruth Rocha criou a história justamente com esse intuito. Para despertar ainda mais a imaginação nessa fase de descobrir as coisas.

Ruth Rocha: família e relacionamentos

Sua vida pessoal sempre foi muito reservada. Filha de pai médico, Álvaro de Faria Machado e Esther Sampaio Machado, Ruth Rocha cresceu ao lado de 4 irmãos, Alexandre, Álvaro, Rilda e Eliana.

Com sua carreira no universo da literatura, sua família sempre a apoiou e incentivou para que mantivesse seu propósito firme como escritora, já que era o seu sonho. Com isso, boa parte de sua trajetória aconteceu de forma bem tranquila e orgânica, como se tivesse realmente nascido para aquilo.

Ela sempre conseguiu se expressar muito bem para as crianças, o que fazia com boa parte de seu trabalho tivesse sucesso logo nas primeiras edições.

Durante seu período de faculdade, Ruth Rocha conheceu Eduardo Rocha, com quem se casou e tiveram uma filha que levou o nome de Mariana. Sua filha foi uma de suas principais inspirações para adentrar nesse universo infantil.

Foi dentro desse universo, que Ruth Rocha trabalhou durante boa parte de sua vida. escrevendo para encantar crianças e fazer com que elas entrassem em um mundo de realidade e imaginação diferente do comum.

O legado de Ruth Rocha

Durante boa parte da carreira de Ruth Rocha, muito de seu legado foi sendo deixando, principalmente para outros futuros escritores de literatura infantil. A escritora sempre se mostrou muito apta a ensinar e a mostrar como se deve se comunicar com as crianças e que nem sempre a história clássica, é o que lhes interessa.

Conseguiu deixar a ideia de que é possível falar de assuntos sérios com os pequenos de forma lúdica e ao mesmo tempo, os fazendo refletir sobre o assunto. E tudo claro, sem deixar sua inocência de lado.

Depois de ser condecorada por Fernando Henrique Cardoso, pelo Ministério da Cultura, junto a Ordem do Mérito Cultura, Ruth Rocha ganhou vários outros prêmios.

em 2002, foi eleita para fazer parte do PEN CLUB, uma associação mundial para escritores que fica no Rio de Janeiro, e foi nesse mesmo ano que recebeu o prêmio Jabuti, pela sua obra “Escrever e Criar”.

O legado da escritora que sempre trabalhou para criar obras para crianças com profundidade e assuntos relevantes, consegue deixar como obra, uma variedade enorme de conteúdos, que podem ser usados desde a escola, com finalidade didática, até para diversão e lazer, para ler junto com os filhos.

você pode gostar também
Comentários