As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Biografia Roberto Carlos

Roberto carlos 2 Biografia Roberto Carlos
Via Wikipédia

Roberto Carlos é um dos maiores cantores que o Brasil já teve, e sempre encantou e continua encantando o público com suas letras românticas e suas interpretações cheias de emoção.

Ao longo da carreira já se apresentou em diversos países, e carrega o título de Rei por toda a América Latina, devido a todos os anos de trabalho e também reconhecimento que possui dentro do meio artístico.

Já são mais de 60 anos de carreira, com sucessos distribuídos em todos esses período, como o recente “Chegaste”, que interpretou junto com a cantora e atriz Jennifer Lopez, isso em 2017.

São muitos pontos para falar sobre sua vida, como esposas, filhos, condição física, sucessos, filmografia, presença nas redes sociais, vida pessoal, etc. Vejamos, então, alguns detalhes sobre o Rei Roberto Carlos.

Fatos Rápidos sobre a vida de Roberto Carlos

NomeRoberto Carlos  (Roberto Carlos)
GêneroFeminino
Famoso comoCantor e Compositor
NacionalidadeBrasileiro
Signo do zodíacoÁries
Nascimento19 de abril de 1941
Conhecida por canções comoComo é grande o meu amor por você
Detalhes
O Portão
Nossa Senhora
Esse cara sou eu
EsposaMyrian Rios
Maria Rita Simões Braga
Cleonice Rossi Braga
FilhosLuciana Carlos
Ana Paula Rossi Braga
Roberto Carlos Segundo
Rafael Carlos Torres Braga

Quais são as redes sociais de Roberto Carlos?

Instagram: Roberto Carlos @robertocarlosoficial

Twitter: Roberto Carlos @robertocarlos

Quem é Roberto Carlos?

Roberto Carlos é um cantor brasileiro de 80 anos de idade, sendo um dos mais importantes representantes da cultura musical brasileira. Não à toa, é conhecido não apenas no Brasil, mas também em toda a América Latina, como Rei Roberto Carlos.

Ativo desde o ano de 1957, já são mais de 64 anos de carreira, totalmente dedicados a essa arte, e levando suas mensagens de amor por onde quer que passe.

São centenas de músicas gravadas, tanto em português, quanto também em outros idiomas, como Espanhol e Inglês. Além do mais, suas músicas estão entre as mais regravadas por outros artistas.

Durante a sua carreira já se dedicou a diversos públicos, desde os mais jovens até o público adulto, que ainda é o que ele busca alcançar hoje em dia. Muitas de suas canções são verdadeiras obras primas brasileiras, como “Detalhes” e “Nossa Senhora”.

Assim, ao se observar a discografia de Roberto Carlos, é possível entender melhor essas variações, com estilos diferentes, até chegar ao romantismo que possui atualmente.

Em sua carreira, também já foi apresentador, como do programa “Jovem Guarda” da TV Record, e inclusive já atuou em diversos filmes, estrelando produções populares na década de 70. Todos os anos, desde 1974, também está na tela da Rede Globo, em seu especial de fim de ano pela emissora.

Como foi a infância de Roberto Carlos?

Roberto Carlos nasceu no dia 19 de abril de 1941, em Cachoeiro de Itapemirim, cidade do estado do Espírito Santo, na região sudeste do país, e foi lá onde viveu durante toda a sua infância.

Seu pai, Robertino Braga, tinha uma relojoaria, e sua mãe, Laura Moreira Braga, trabalhava como costureira na cidade. Foi assim que eles sustentaram seus quatro filhos, sendo que Roberto era o mais novo.

Era uma família humilde, mas Roberto Carlos conseguiu ter uma boa infância, sempre brincando com seus amigos da redondeza. O seu lado musical começou a ser desenvolvido desde muito cedo, com o apoio de sua mãe, que ajudou com que ele aprendesse a tocar piano e também violão, indo depois para uma escola de música da cidade.

Com cerca de 9 anos, participou e venceu um concurso de calouros em uma rádio da cidade, ganhado balas como premiação pelo feito. De todo modo, esse dia marcou o início de uma trajetória vitoriosa, e o desenvolvimento mais eficiente do artista. Na verdade não era bem a carreira de cantor que ele queria seguir, mas acabou se apaixonando pela arte e se dedicando mais profundamente em sua carreira musical.

Novamente foi sua mãe quem deu os incentivos necessários para que ele fosse para o concurso, já que sempre foi a grande incentivadora de sua carreira. Com o sucesso que conseguiu, passou a se apresentar semanalmente na rádio, o que foi moldando ainda mais o jovem cantor.

Vale lembrar, porém, que nesse período, Roberto Carlos já havia passado por uma das experiências mais dolorosas de sua vida, que foi quando ele perdeu sua perna em um acidente.

Como Roberto Carlos perdeu a perna?

Embora nem todo mundo saiba, o Rei Roberto Carlos teve uma de suas pernas amputadas quando criança, sendo esse um dos momentos mais marcantes da vida do cantor, tanto que ele não costuma falar muito sobre o assunto.

Tudo aconteceu quando ele era realmente muito jovem, tendo apenas 6 anos de idade, ainda vivendo em sua cidade natal. Era um dia de festividades no local, já que era a comemoração do padroeiro de Cachoeiro do Itapemirim.

Mesmo assim, o jovem Roberto seguiu vida infantil normalmente, brincando com seus amigos perto de uma linha férrea. Ao se aproximar muito da linha, e começar a brincar sobre ela, ele acabou sofrendo um acidente e fraturando gravemente a perna direita.

Mesmo com o socorro, a fratura foi realmente muito severa, e a melhor solução encontrada pelos especialistas foi a amputação de sua perna. Assim, desde seus seis anos de idade, Roberto Carlos se viu obrigado a utilizar próteses para caminhar normalmente.

O ponto menos agravante, por assim dizer, é que a fratura foi abaixo do joelho, então não é sua perna por completo que foi amputada, mas sim essa parte inferior, abaixo do joelho. O que, de certo modo, acaba deixando os processos posteriores de adaptação mais fáceis.

O início da vida profissional do cantor

Depois de dar seus primeiros passos ainda no Espírito Santo, Roberto Carlos decide se mudar para o estado do Rio de Janeiro, quando ainda estava com 16 anos de idade.

Assim, começou a ter influência influência de grandes artistas da época, dentro do Rock, como Elvis Presley e Chuck Berry, o que ajudou também a desenvolver seu gosto pelo gênero.

Com as amizades que fez no período, acabou formando o seu primeiro grupo musical, entrando de vez na vida profissional da música, The Sputniks, isso ainda em 1957, sempre cantando grandes clássicos do rock and roll da época.

Esse foi um período realmente muito importante na vida do Rei Roberto, uma vez que conheceu pessoas importantes em sua vida, como o cantor Tim Maia, que fazia parte de sua banda, e também Erasmo Carlos, que viria a ser um amigo inseparável.

Rapidamente, o The Sputniks conseguiram uma oportunidade única para cantar na TV Tupi, o que acabou sendo também o início da carreira solo de Roberto Carlos, uma vez que depois da apresentação, ele também buscou fazer uma participação cantando sozinho.

Tim Maia, que era seu colega na banda, não gostou nada disso, e com a briga dos dois, a banda acabou sendo desfeita, e outro conjunto foi criado, agora com Erasmos sendo vocalista, sem a participação de Roberto Carlos nem de Tim Maia, que começaram suas carreiras solo.

O Rei, então, passou a cantar bossa nova, e também samba-canção, se apresentando em Copacabana, e já em 1961, como 20 anos de idade, lançou seu primeiro álbum, que realmente não conseguiu alcançar o sucesso, mas foi um passo profissional importante em sua vida.

Maiores sucessos da carreira de Roberto Carlos

Apesar de seu pouco sucesso em 1961, Roberto Carlos não parou suas produções, e apenas dois anos depois, já estava lançando um novo álbum, conseguindo finalmente alcançar a fama com canções como Splish Splash, Parei na Contramão, e depois com O Calhambeque.

Essas são algumas das primeiras canções de sucesso do Rei Roberto Carlos, que o fizeram subir ao status de reconhecimento nacional, tendo já nessa época uma amizade mais amadurecida com Erasmo, que o ajudava a compor as canções, e também já fazia sucesso.

Assim, com 24 anos de idade, Roberto Carlos seguiu para a TV Record, onde passou a apresentar, junto com a cantora Wanderléa e também com o próprio Erasmo, o programa semanal Jovem Guarda.

Esse programa realmente marcou época, e serviu como a base para o surgimento do movimento musical que levou o nome do programa, sendo esses os grandes fundadores do estilo.

Durante o período em que apresentou o programa, até 1969, Roberto Carlos já havia lançado diversas canções de sucesso, e tendo feito inclusive shows internacionais, como em Portugal. Mas, sua saída acabou marcando também uma mudança dentro da própria carreira do cantor.

Isso porque ele passou a se voltar mais para o público adulto, e não mais para os jovens, se tornando um cantor romântico, tal qual ainda é conhecido até os dias atuais.

De todo modo, em ambos períodos as músicas do Rei já estavam partindo mais para esse lado, e ele começou a abraçar esse estilo, que é o que realmente marcou sua carreira.

Ao longo de vários anos dedicados à vida musical, estando ativo profissionalmente desde o ano de 1957, são várias as canções de sucesso de Roberto Carlos. Vejamos, então, algumas das mais importantes.

Como é grande o meu amor por você (1967)



Publicidade

Essa é, sem dúvidas, uma das canções mais populares do Rei, e exprime muito desse romantismo que ele carrega. Embora ele sempre busque alternar o modo como as canções são cantadas ao longo do tempo, para que elas não fiquem dentro de uma estrutura muito rígida, essa canção em específico sempre manteve um ritmo lento, que é outra característica do cantor.

É quase como se ele falasse realmente a canção, que aliás foi escrita de uma forma majestosa, através de rimas inteligentes, e mas sem sair muito da simplicidade, isso na maioria dos versos.

Essa simplicidade na letra, porém, é um dos pontos principais, fazendo com que seja fácil de aprender e acompanhar, sem falar que deixa a mensagem de amor que ela busca transmitir, de uma forma muito clara.

Detalhes (1971)

Essa é outra canção que não pode faltar em uma lista das principais músicas do cantor. Nela, ele busca mostrar, novamente de forma simples, todos os detalhes que ficam em um relacionamento.

Ela narra justamente o momento após o fim de uma relação, onde a pessoa mostra que não será fácil o outro a esquecer, vendo em cada lugar algo que irá fazer se lembrar dele.

O Portão (1974)

Esse é outro sucesso indiscutível de Roberto Carlos, que traz algo que era muito comum, mas que acabou se perdendo com o passar dos anos, que são histórias contadas no decorrer da canção.

Em “O Portão”, narra-se a história de alguém que estava fora de casa por um longo tempo, mas que acabou voltando para o lugar que tanto amava, e encontrou tudo ainda como havia deixado, como se nunca realmente tivesse saído de lá. As mudanças, como mostram a canção, talvez tenham acontecido apenas dentro da própria pessoa.

Outro ponto interessante sobre a letra é a falta de gênero, por assim dizer, o que faz com a música se encaixe nas mais variadas possibilidades, seja de um filho ou filha que deixou a casa dos pais, seja para estudar ou trabalhar; ou um marido ou esposa, que teve que migrar em busca de melhores oportunidades.

A letra permite tomar a canção como se tivesse sido escrita para si próprio, mostrando uma situação comum em famílias brasileiras. E exatamente por isso conseguiu fazer tanto sucesso, se mantendo viva até os dias atuais.

Nossa Senhora (1993)

Além de todo o lado romântico, outro lado também é bastante frequente nas letras de Roberto Carlos, que no caso é a religiosidade. Nessa canção em específico, é retratado todo o lado católico do cantor, que exprime toda a devoção por Nossa Senhora Aparecida, que é a padroeira do Brasil.

A letra é como uma oração, com um refrão que se repete ao longo da canção, enquanto canta também outras partes mais diversificadas, pedindo bênçãos para quem canta e também para quem precisa.

De um forma geral é uma letra mais longa, mas que passa novamente uma mensagem clara e direta, com uma compreensão simples de ser feita, o que ajuda a alcançar os mais variados públicos.

É realmente um pedido para que nossa senhora possa guiar cada passo, estender a mão quando necessário, iluminar o caminho, cuidar de cada detalhe da vida, mostrando toda a devoção que carrega.

Esse cara sou eu (2012)

Mesmo com diversos sucessos que sobreviveram por várias novas gerações, Roberto Carlos conseguiu também emplacar novos projetos em muitas outras ocasiões.

Um exemplo disso, é a música “Esse cara sou eu”, lançada no ano de 2012, e que foi tema da novela “Salve Jorge”, da Rede Globo. Na época a canção fez um enorme sucesso em todo o país, sendo uma das canções mais tocadas daquele ano.

Ela segue novamente essa linha romântica do Rei Roberto Carlos, mostrando como é o cara romântico ideal, e tudo o que ele realmente faz para agradar sua amada, com o chamado cavalheirismo, que também foi se perdendo com o passar do tempo, mas que o cantor buscou retratar em sua canção.

Outro exemplo de sucesso recente do Rei, é a canção “Chegaste”, gravada por ele e pela atriz e cantora Jennifer Lopez, isso no final de 2016, e que também foi um grande sucesso.

Roberto Carlos Especial

Para quem gosta das emoções do final de ano, tudo fica ainda mais agradável com o chamado Roberto Carlos Especial, que é um programa anual que passa na Rede Globo, sempre nos fins de ano.

É, como o próprio nome deixa entender, um especial que conta com Roberto Carlos e mais outros convidados especiais, abrilhantando ainda mais esse período. Tudo teve início no ano de 1974, e de lá para cá, poucas vezes ele não aconteceu.

Alguns exemplos de anos em que o especial não aconteceram foi em 1999, devido à doença da esposa de Roberto; e também em 2020, devido a pandemia do Novo Coronavírus. Nesses anos houve reprises de edições anteriores, mas normalmente tudo ocorre em versões inéditas.

A filmografia de Roberto Carlos

Além de diversas canções, Roberto Carlos também atuou em alguns filmes, onde ele era o personagem principal. Na verdade, trata-se de uma trilogia, onde o cantor consegue mostrar também seu lado da atuação. Vejamos melhor sobre esses três filmes de Roberto Carlos.

Roberto Carlos em ritmo de aventura

Esse é o primeiro filme da trilogia, lançado no ano de 1968, e que conseguiu um sucesso significativo. Nessa época Roberto Carlos estava saindo do programa Jovem Guarda, e era um verdadeiro fenômeno em todo o país.

Trata-se de uma comédia, obviamente ambientada dentro da música em si, e Roberto Carlos era o grande personagem de toda a obra, que contava também com grandes atores, como é o caso de Reginaldo Faria.

Roberto Carlos e o diamante cor de rosa

Dois anos após o lançamento do primeiro filme, surge o diamante cor de rosa, lançado em 1970. A obra foi o filme mais assistido do ano, e mostrava agora não apenas o próprio Roberto, mas também seus colegas da Jovem Guarda, no caso Erasmo e Wanderléia.

A história era ambientada no Japão e também em Israel, tendo um tema temática mais de aventura, sem sair do lado musical presente na trilogia, é claro, e mostra todo um enredo baseado nessa cultura mais oriental realmente, com lutas e tudo mais.

Roberto Carlos a 300 quilômetros por hora

O terceiro e último filme do Rei, surgiu em 1971, sendo novamente o filme mais assistido do ano, encerrando a franquia com um enorme sucesso. Agora abordando um lado automobilístico. A obra é novamente uma aventura, dentro do musical, e Roberto Carlos acaba entrando em uma equipe meio improvisada de corrida.

A vida pessoal de Roberto Carlos

Além de acompanhar pontos importantes sobre a carreira de Roberto Carlos, também é preciso abordar fatos relacionados a sua vida pessoal, que também é tão envolvente quanto sua própria carreira.

Esposas e filhos

Ao longo de sua vida, Roberto Carlos teve diversos amores, e foi casado por três vezes, mas todas antes dos anos 2000. O seu primeiro casamento foi com Cleonice Rossi Braga, que durou entre os anos de 1968 e 1979, e com ela, teve dois filhos legítimos e assumiu mais um terceiro filho, que era apenas de Cleonice.

São filhos legítimos do Rei, o Roberto Carlos Segundo (Dudu), que infelizmente já faleceu; e também Luciana Carlos. Ana Paula Rossi Braga, que também já está falecida, embora tenha sido registrada como sua filha, não o era de fato. Ela faleceu em 2011, aos 47 anos de idade.

Após esse relacionamento, ele se casou novamente com Myrian Rios, vivendo com ela entre os anos de 1979 e 1989, mas sem ter nenhum filho com ela. Solteiro novamente, Roberto Carlos acabou tendo seu quarto e último filho até o momento, mas sem ter um relacionamento fixo.

Rafael Carlos Torres Braga nasceu em 1990, sendo filho de Maria Lucila, um caso breve que ele teve nesse período. Ele só viria a se casar novamente em 1996, agora com um antigo amor seu, Maria Rita Simões Braga, mas ficando ao seu lado apenas até 1999, quando ela faleceu vítima de câncer.

Juntos, Maria Rita e Roberto não tiveram filhos, mas sua morte abalou bastante o psicológico do cantor, que na época estava com 58 anos de idade. E, desde então, ele nunca mais assumiu nenhum namoro público. Dessa forma, Roberto Carlos teve três esposas e quatro filhos, sendo que apenas dois deles ainda estão vivos.

Instagram do Rei

Mesmo já com 80 anos de idade, o Rei Roberto Carlos busca sempre agradar os fãs mais jovens também, que se fazem presentes nas redes sociais como o Instagram e o Twitter.

No Insta, milhares de pessoas fazem questão de acompanhar a divulgação de seus trabalhos, bem como também mais detalhes sobre sua vida. Assim, ele sempre posta fotos com personalidades famosas que encontra; fotos suas mais antigas; e passeios que faz.

Comentários