Pedro Alonso 1 Pedro Alonso: Biografia (1971 - atualmente)
Via Wikipédia

Pedro Alonso é um múltiplo artista espanhol, que fez sua carreira realmente na atuação, mas que também tem um trabalho considerável como escritor, que é uma área que chama muito a atenção do artista, com 50 anos de idade, completos no ano de 2021.

Embora sua dedicação em outras áreas, em com atuações em diversas produções ao longo de sua carreira, Pedro Alonso conseguiu destaque realmente ao estrelar a série La Casa de Papel, que tem origem espanhola, sendo original da Netflix, e que conseguiu ganhar o mundo inteiro em 2017, tornando-se um fenômeno mundial, e ganhando muitas outras temporadas depois disso, bem como The Crown.

Antes disso, ele já era conhecido nacionalmente e em alguns outros países da Europa e outras regiões, principalmente pelo trabalho em outra série chamada Gran Hotel, que também fez sucesso na época de lançamento, e durou três temporadas no ar.

Fatos Rápidos sobre a vida de Pedro Alonso

NomePedro Ochoro González Alonso Lopez (Pedro Alonso)
GêneroMasculino
Famoso comoAtor e Escritor
NacionalidadeEspanhol
Signo do zodíacoGêmeos
Nascimento21 de junho de 1971

Redes sociais de Pedro Alonso

Instagram: Pedro Alonso @pedroalonsoochoro

Quem é Pedro Alonso?

Pedro Alonso é um ator espanhol de 50 anos de idade, e que acumula também várias outras profissões artísticas, como a de escritor, com a qual Pedro também consegue ganhar um bom destaque dentro das mídias. Mas é realmente como ator que ele ganha seu merecido destaque, atuando profissionalmente desde o ano de 1995, quando fez sua estreia nas telas do cinema.

Um fator que chama a atenção para a carreira de Pedro Alonso é a sua longa filmografia, uma vez que conta com dezenas de produções em seu currículo, mesmo se dedicando a outras áreas também. Embora já sejam mais de 20 anos dedicados a atuação, seus números realmente impressionam.

Seu papel mais marcante é o personagem Andrés de Fonollosa, também conhecido como Berlin, que faz parte do elenco principal de La Casa de Papel, uma série original da Netflix, e que é um dos maiores sucessos de todos os tempos dentro da plataforma.

Mas, além disso, ele conta com muitas outras obras em seu currículo, como Alma gitana, de 1996; A las once en la casa, de 1998; Un día normal, de 2011; La Atlántida, de 2005; El pliegue del hipocampo, de 1997; A vida por diante,  de 2006; Las vacaciones de Clara, de 1997, etc.

Pedro Alonso: infância

Pedro Alonso nasceu no dia 21 de junho de 1971 em Vigo, na Espanha, e começou a dedicar-se à vida artística desde muito cedo, sempre alimentando seus sonhos e aprimorando suas vocações, tanto que conseguiu desenvolver diversas habilidades, relacionadas à escrita, fala, atuação, etc.

Assim como basicamente a grande maioria dos artistas, Pedro Alonso é apenas o seu nome artístico dentro da atuação, pois seu verdadeiro é bem mais extenso, sendo Pedro Ochoro González Alonso Lopez, o que é bem extenso, por isso ele acabou aproveitando apenas dois deles para criar o seu nome usual. Como escritor, por outro lado, ele também adiciona o nome Ochoro, ficando assim Pedro Alonso Ochoro, que é também o nome que ele utiliza em suas redes sociais.

Quando a sua dedicação inicial, ela a levou a aperfeiçoar suas técnicas em uma escola de teatro em Madrid, onde acabou graduando-se em artes dramáticas ainda no ano de 1992, quando tinha 21 anos de idade. Outro ponto que chama a atenção é a sua dedicação ao estudo das línguas, que o fez tornar-se fluente em outras línguas estrangeiras, como o inglês.

Início da vida profissional 

Após concluir sua formação na área do cinema, Pedro Alonso buscou dar início em sua vida profissional, iniciando efetivamente quando tinha 24 anos de idade, e desse ponto em diante ele não parou mais, tendo participado de diversas produções ao longo de sua carreira.

Tudo teve início em 1995, quando ele atuou no filme Hábitos, e já no ano seguinte, ele conseguiu engatar três outros filmes. E esse grande número de produções no mesmo ano é algo bastante comum na vida de Pedro Alonso, que já em 1997, quando começou a trabalhar dentro da televisão, com a série Todos los hombres son iguales, ele fez ainda mais três filmes nesse mesmo ano.

E é exatamente devido a isso, com participações em múltiplas produções no mesmo ano que ele consegue ter uma filmografia tão grande. E embora tenha mais de 20 anos de carreira, seus números são bastante significativos, comparáveis a outros atores muito mais experientes.

E isso se deve justamente a entrega e ao talento do ator, que sempre é convidado para as produções, e com sua dedicação, procura dar o seu melhor em tudo o que faz.

Principais Trabalhos 

Em seus mais de 20 anos de atuação dentro do mercado audiovisual, o que não faltam são exemplos de produções que contam com a participação de Pedro Alonso, que sempre se mostrou um artista completo dentro desse mundo artístico.

Assim, alguns filmes feitos por ele são Tengo una casa, de 1996, onde ele atuou como Ferrari; Novembro, de 2003, como Guarda; 18 refeições, de 2010, como Vladimir Torres; Retribuição, de 2015, como Contreras; O silêncio do pãntano, de 20119, como Q; Alma gitana, de 1996, como Antonio; La noche del hermano, de 2005, como Club Porter; Todo lo que tú quieras, de 2010, como Pedro; etc.

Além desses e de diversos outros filmes, ele também conta com muitas séries em seu currículo, tais como Raquel busca su sitio, de 2000; El comissário, de 2002, interpretando o personagem Tomás;  Hospital central, de 2005, como Curro Gómez; Ris científica, de 2007, como Hector; El mistério del tiempo, de 2016, como Tenente Cerezo; Diablo Guardián, de 2018, como Galego; etc.

No entanto, algumas séries chamam a atenção na carreira de Pedro Alonso, seja devido a durabilidade ou pelo sucesso que a produção conseguiu em todo o mundo.  Esse é o caso da série Padre Casares, que durou de 2008 até 2015, onde Pedro atuou como o Padre Horácio Casares.

Nacionalmente, uma produção que também deve ser mencionada é Gran Hotel, que recebeu grande destaque dentro da Espanha e também de alguns outros países, durando de 2011 até 2013, onde ele interpretou o personagem Diego Murquía.

No entanto, é inegável realmente que o que o transformou em um verdadeiro astro em todo o mundo, foi a série La Casa de Papel, onde ele interpreta o personagem Andrés de Fonollosa, também chamado de Berlin, que faz parte do elenco principal da trama.

Pedro Alonso: de ator a escritor

Como já foi abordado aqui, além de ator, Pedro Alonso, além de ser um ator de renome e fama mundial, devido a seus inúmeros trabalhos dentro da TV e do cinema, também é um escritor e artista.

O início de sua carreira como escritor ocorreu no ano de 2020, quando ele lançou “O Livro de Felipe”, que traz uma introdução bem moderna sobre a vida, com reflexões profundas sobre a sociedade e a vida em si.

Para isso, o autor realiza uma regressão para uma outra vida passada, encarnado como um soldado romano chamado Felipe, que é o personagem que ele utiliza para refletir nesses dois tempos diversos, fazendo assim uma alusão aos próprios tempos modernos, mas focado ainda nessa época imperial.

Dessa forma, a obra traz uma visão bastante interessante sobre tudo, tendo inclusive uma boa recepção do público em geral, que gostou bastante da obra, e de todos os pensamentos e viagens que o personagem faz o leitor realizar. Assim, além de demonstrar um enorme talento dentro das telas, Pedro Alonso também se mostra um escritor eficiente, capaz de despertar o interesse do público em seguí-lo também nessa área de sua vida.

Vida pessoal de Pedro Alonso

Sua atividade dentro dos palcos e em frente às câmeras, não atrapalha sua vida ativa também por de trás delas, afinal Pedro Alonso é uma pessoa bastante dedicada a diversas áreas, inclusive a sua própria vida pessoal, e faz questão de mostrar isso em suas redes sociais.

No mundo virtual, aliás, é uma questão muito interessante sobre Pedro, afinal é realmente uma estrela, com muitos fãs e seguidores espalhados pelo mundo, que costumam acompanhar suas postagens em suas redes.

A conta oficial do Instagram de Pedro Alonso já conta com mais de 9,1 milhões de seguidores, o que mostra todo o carinho que as pessoas sentem por ele, e o interesse em acompanhar sua vida, que ele mostra em suas postagens frequentes, mostrando principalmente questões relacionadas ao seu trabalho, e também a sua própria vida pessoal, como viagens, passeios, etc.

Quanto a sua vida conjugal, em 2021, ele ainda permanece com seu estado civil de solteiro, mas já mantém um relacionamento duradouro com a artista francesa Tatiana Djordjevic, com quem ele ainda não é casado. Além do mais, ele também já tem uma filha, chamada Uriel, fruto de um outro relacionamento que ele teve no passado.