As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Biografia de Monteiro Lobato

Monteiro Lobato 1 Biografia de Monteiro Lobato
Via Wikipédia

Compreender a biografia de Monteiro Lobato é fundamental, afinal ele é um importante escritor brasileiro, nascido ainda no século XIX, mas que deixou seu legado para todas as gerações futuras, com suas obras que marcaram gerações e ainda são bastante aclamadas até os dias atuais.

É inegável que ele é um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos, sendo o principal representante da literatura infantil. Sua principal obra “Sítio do Pica-pau Amarelo” conseguiu lançar no mercado diversos personagens bastante conhecidas na atualidade, como a boneca Emília, o Jeca Tatu, a Narizinho, a Cuca, o Visconde de Sabugosa, e muitos outros personagens icônicos.

Mas, além disso, Monteiro Lobato também sempre foi um empresário nato, tendo fundado diversas empresas no país, sejam ligadas a edição e publicação de livros, ou até mesmo a exploração do petróleo, que foi um ativo muito presente na vida do escritor.

Fatos Rápidos sobre a biografia de Monteiro Lobato

NomeJosé Bento Renato Monteiro Lobato (Monteiro Lobato)
GêneroMasculino
Famoso comoEscritor
NacionalidadeBrasileiro
Signo do zodíacoLeão
Nascimento18 de abril de 1882
Falecimento4 de julho 1948
EsposaMaria Pureza da Natividade De Souza e Castro
FilhosRute Monteiro Lobato
Edgar Monteiro Lobato
Guilherme Monteiro Lobato
Marta Monteiro Lobato

Quem é Monteiro Lobato?

Monteiro Lobato é um dos grandes representantes da literatura brasileira, sendo realmente impossível criar uma lista onde ele não esteja entre os principais escritores do país. Mas seu grande foco realmente sempre foi a literatura infantil, onde ele detém grande parte de suas obras.

Um fato interessante é que sua obra principal, O sitío do Picapal Amarelo, amplamente divulgado e produzido, com em forma de seriados para TV, como na TV Globo e na TV Cultura, é um tipo de conjunto de diversos personagens que ele já havia descrito em outras obras.

Por ter sido criado em uma fazenda, e ter dedicado uma parte de sua vida a cuidar da fazenda de sua família, ele acabou escrevendo uma série de livros, retratando personagens como a Dona Benta, o Visconde de Sabugosa, e Emília, A narizinho, o Pedrinho, etc.

E foi muito através disso que ele conquistou fama e reconhecimento nacional e mundial ainda em vida, tendo se dedicado também a muitas outras causas nacionais, como ao petróleo, por isso a necessidade de entender a biografia de Monteiro Lobato.

Biografia de Monteiro Lobato: infância

Monteiro Lobato nasceu em meio a vida na fazenda, no dia 18 de abril de 1882, na cidade de Taubaté, São Paulo. Foi inicialmente alfabetizado por sua mãe, e apenas depois dirigiu-se para uma escola para aprimorar seus conhecimentos.

Seu avô era um leitor ávido, e possuía uma biblioteca com diversos exemplares de livros, os quais Lobato começou a ler e se apaixonar ainda muito jovem. Sua paixão por ler e escrever começou realmente desde muito cedo, quando ainda era criança, e aos 13 anos já escrevia para alguns jornais da cidade.

Sua fluência em línguas também foi algo muito marcante, tanto que já tinha domínio sobre o francês e o Inglês desde os 14 anos. E isso ajudou bastante em sua vida acadêmica, tendo, além de escrito muitas obras, atuado na tradução de muitas outras produções estrangeiras.

O primeiro livro de Monteiro Lobato

Monteiro Lobato é considerado por muitos como o pai da literatura infantil, e realmente nenhum outro autor dedicou tanto do seu tempo e esforço para esse estilo de obra no país.

Sua primeira obra de cunho infantil foi A Menina do Narizinho Arrebitado de 1921, mas antes disso ele já havia escrito muitos outros contos adultos, como Urupês, de 1918 e Ideias de Jeca Tatu, de 1919.

Principais obras de Monteiro Lobato

Monteiro Lobato também sempre buscou ser bastante diversificado em suas obras, onde apesar de ser bastante conhecido por ser um escritor infantil, devido aos diversos livros baseados em suas lembranças e sua vida na fazenda, ele também criou muitas obras voltadas para o público adulto, inclusive com duras críticas sociais. Vejamos algumas das principais obras presentes na biografia de Monteiro Lobato:

Livros infantis – O saci, de 1921; Reinações de Narizinho, de 1931; Caçadas de Pedrinho,  de 1933; Geografia de Dona Benta, de 1935; Memórias da Emília, de 1936; Histórias de Tia Nastácia, de 1937; O Picapau Amarelo, de 1939; Histórias diversas, de 1947, etc.

Livros adultos – Urupês, de 1918; Ideias de Jeca Tatu, de 1919; O macaco que se fez homem, de 1923; O presidente Negro, de 1926; O escândalo do Petróleo, de 1936; Zé Brasil, de 1937; Críticas e outras notas, de 1938;  Conferências, artigos e crônicas, de 1948, etc.

A formação Monteiro Lobato

Related Posts

Embora seja conhecido por ser um escritor, Monteiro Lobato exerceu também outras profissões, tendo inclusive formado-se em Direito, e exercido a função de promotor por um período em Taubaté.

Formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo no ano de 1904, quando tinha 22 anos de idade, e logo após sua formatura decidiu voltar para sua terra natal, onde tornou-se o promotor da cidade.

Vida na fazenda

Sua vida como promotor não durou muito tempo, isso porque acabou recebendo a Fazenda Buquira como herança de seu avô, o Visconde de Tremembé, e como seus pais já eram falecidos na época, decidiu largar sua profissão e dedicar-se a agropecuária, que era uma área que ele também gostava, tanto que retratava bastante em suas obras, por ter vivido bastante tempo em uma fazenda.

Isso aconteceu quando ele já tinha 29 anos de idade, e já era pai de 2 filhos. Inicialmente os negócios na fazenda deram muito certo, onde Lobato conseguiu investir o dinheiro também em outros negócios variados.

Esposa e filhos

Cerca de 4 anos após se formar, e iniciar sua carreira como promotor em Taubaté, Monteiro Lobato acabou conhecendo aquela que viria a ser sua esposa e mãe de seus filhos. Seu nome era Maria Pureza da Natividade De Souza e Castro, filha de um conhecido da família já a muitos anos.

Com ela, Lobato acabou tendo todos os seus quatro filhos: Rute Monteiro Lobato; Edgar Monteiro Lobato; Guilherme Monteiro Lobato;  e Marta Monteiro Lobato. E Maria Pureza viveu ao seu lado até o dia da morte do escritor, em 1948, quando estavam completando 40 anos de casados.

A vida empresarial de Monteiro Lobato

Além de ser um grande escritor, um lado da vida que poucas pessoas têm é justamente a questão empresarial que envolve a trajetória de Monteiro Lobato. Um ponto inicial que deve ser levado em consideração é todo o nacionalismo presente na pessoa que era o Lobato, uma vez que muitas de suas obras e também seus negócios eram exatamente voltados observando o bem do país.

Assim, ele criou diversas empresas de edição de livros ou até mesmo revistas e jornais, mas dentro desse lado empresarial, o que mais chama a atenção é a questão do petróleo, onde fundou a Companhia Petróleos do Brasil, iniciada em 1932, e que teve um grande destaque no período, exercendo um papel importante nesse movimento brasileiro pela busca por esse precioso líquido. E essa parte empresarial, também é um dos principais pontos dentro da biografia de Monteiro Lobato.

Época da prisão

Contudo, nem tudo foram flores na vida de Monteiro Lobato, já tendo sido inclusive preso, justamente devido ao seu envolvimento com o petróleo, onde já havia publicado alguns livros com duras críticas ao governo e ao modo com as coisas ocorriam.

Uma de suas principais queixas era justamente o fato do Governo não permitir que outras empresas fizessem as perfurações, e nem mesmo perfuravam, atrasando assim o progresso. Sua prisão veio em 1941, ao enviar uma carta ao presidente Getúlio Vargas, criticando-o, o que foi considerado um ato ofensivo, sendo condenado a passar seis meses encarcerado. Mas mesmo após isso, as perseguições e as censuras continuaram atrapalhando suas obras.

Morte de Monteiro Lobato

Depois de dedicar sua vida à literatura  e as causas relacionadas ao petróleo, batendo de frente com a ditadura do Estado Novo, Monteiro Lobato acabou falecendo no ano de 1948, quando havia completado 66 anos de idade, na própria capital do estado de São Paulo.

Ele foi vítima de espasmos cerebrais, um primeiro que já retirou uma parte de sua mobilidade, e algum tempo depois, um segundo ataque, que acabou efetivamente tirando sua vida, sendo esse o último episódio da vida e biografia de Monteiro Lobato.

As acusações de racismo em suas obras

Muitos anos após sua morte, Monteiro Lobato acabou entrando em um grande polêmica em todo o Brasil, após ser acusado de racista em muitas de suas obras, como no próprio Sítio do Pica-pau Amarelo. Assim, infelizmente, a biografia de Monteiro Lobato acabou ganhando mais um capítulo.

Bem, tudo ainda divide opiniões, mas a grande verdade é que não cabe julgar pensamentos passados com as tendências atuais. É preciso notar que Monteiro Lobato nasceu ainda em uma época onde a escravidão nem mesmo havia sido abolida.

E mesmo após a abolição, que ocorreu em 1888, demorou realmente muitos anos para que tudo começasse a entrar em seus devidos eixos. Mesmo atualmente, mais de 130 anos após esse evento, ainda há muito a se evoluir em relação a todo o preconceito que os negros sofrem no Brasil e também em grande parte dos países do mundo.

Com isso, é impossível realmente acusar o escritor ou qualquer outro escritor da época por ser racista, levando em consideração que, infelizmente, era uma realidade ainda muito presente na época. Assim, o que é inaceitável nos dias atuais, acaba que era normal dentro do período retratado.