As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Biografia Kandinsky

Kandinsky 2 Biografia Kandinsky

Kandinsky, ou Wassily Wassilyevich Kandinsky, foi um pintor e estudioso de diversas áreas da educação, inclusive chegando a dar aulas de arquitetura e literatura em universidades. Nasceu na Rússia em 1866 e morreu em 1944, sem poder ter a notícia do fim da Segunda Guerra Mundial.

Podemos dizer que Kandinsky foi um artista plástico e professor que foi considerado o artista que deu início às artes abstratas no mundo.

Kandinsky, apesar de ter nascido em Moscou, na Rússia, passou parte da sua infância na cidade de Odessa e foi lá que o artista conseguiu se formar. Sendo assim, ele estudou na Greko Odessa Art School.

O artista teve uma vida de estudos muito agitada e conseguiu atuar e estudar em muitas áreas. 

Talvez por esse motivo, aliado a uma vida de viagens dentro da Europa, Kandinsky, apesar de ser Russo, também conseguiu nacionalidade alemã e francesa, por conta da sua presença constante no meio acadêmico e político. 

O artista era tão estudioso que lhe foi oferecida a cadeira de Direito Romano na Universidade de Tartu, situada no país que hoje é chamado de Ucrânia. Logo, o que comprova a vida agitada do russo.

NomeWassily Wassilyevich Kandinsky
GêneroMasculino
Principal obraSuave Duro
NacionalidadeRusso
OcupaçãoPintor; Professor; Especialista em Direito Romano
Nascimento1866
Conhecido porKandinsky – Fundador da pintura abstrata

Carreira artística

Mas, apesar da sua vida cheia de aprendizados constantes, Kandinsky só deu início nos estudos relativos à arte, muitos anos após iniciar sua carreira de estudos acadêmicos. Sendo assim, o artista só se viu estudioso de pintura aos trinta anos de idade, começando relativamente tarde para a profissão.

Foi em 1896 que o artista se mudou para a Alemanha. Nesse sentido, pelo fato de ter estudado em uma escola privada anteriormente, isso possibilitou que o mesmo ingressasse na Academia de Belas Artes de Munique. 

Entretanto, mesmo conseguindo ocupar uma vaga na Academia, ainda assim as coisas não andaram como o planejado e, em 1914, Kandinsky precisou retornar a Moscou em função da eclosão da Primeira Guerra Mundial.

É interessante concluir que os artistas que vivenciaram esse período na Europa, puderam ter contato e vivenciar de perto os dois maiores conflitos armados da história da humanidade: a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Logo, é de se pensar até que ponto esses conflitos contribuíram para o surgimento de novas artes.

Já na Rússia, o artista teve contato com outra experiência, no entanto, diferente do fascismo que instaurou-se na Alemanha nazista, a Revolução Russa.

Em função desse acontecimento, Kandinsky foi um dos membros fundadores do Museu da Cultura da Pintura. Todavia, a estrutura da sua arte e o seu modo de pensar, foram propulsores para que alguns conflitos surgissem dentro da comunidade artística Russa. 

Basicamente, seu pensamento em relação ao desenvolvimento da sua pintura, contrastavam com a presença do materialismo argumentativo que era preponderante na Rússia naquele período.

Kandinsky voltou para a Alemanha em 1920.

Como dissemos anteriormente, o artista sempre esteve muito presente na comunidade acadêmica e por isso conseguiu aprender muitas matérias de áreas diferentes. Sendo assim, isso o possibilitou de lecionar Arte e Arquitetura em Bauhaus.

Entretanto, Kandinsky jamais imaginaria presenciar mais um conflito global e infelizmente foi o que aconteceu.

O artista que estava na Alemanha desde 1922, presenciou o fechamento da escola de design em 1933, pelos nazistas. Logo, foi para a França, lugar em que passou o resto da sua vida, tendo a oportunidade de se tornar um cidadão francês no ano de 1939.

Talvez o fato de que a Segunda Guerra o tenha expulsado da Alemanha, tenha sido um fator crucial para a produção artística de Kandinsky. Sendo assim, foi na França, nesse período em que esteve lá nessa ocasião, que o artista produziu grande parte do seu conteúdo artístico-cultural.

Infância

O artista Kandinsky, também especialista em Direito Romano, professor de Literatura, Artes e Arquitetura, nasceu na cidade de Moscou, em 16 de dezembro de 1866. Sendo assim, seus pais são Lidia Ticheeva e Vasily Silvestrovich Kandinsky.

Um fato super interessante sobre a vida de Kandinsky, é que ele é bisneto de uma princesa Gantimurova. Logo, a linhagem da princesa é uma descendência de um general chamado Manchu Gantimur, da Mongólia.

Parece que a família de Kandinsky é mesmo cheia de pessoas importantes, mesmo porque o artista, além do fato de seus pais e tios eram músicos, ele ainda foi tio do garoto que mais tarde se destacaria muito no cenário da Filosofia: o filósofo Alexandre Kojève.

Entretanto a vida do artista não foi só flores e o mesmo presenciou a separação dos pais, o que foi um baque muito forte na sua vida. Todavia, as coisas deram certo e o mesmo foi morar com uma tia, onde aprendeu a tocar violoncelo e piano, pelo fato de que ela era música e ainda teve a oportunidade de estudar desenho com um professor particular.

Apesar da forte influência artística dentro da família, ainda assim os pais não enxergavam uma possibilidade vantajosa para o filho, seguir o caminho das artes. Sendo assim, talvez movido por um conservadorismo vulgar, a família insistiu para que Kandinsky estudasse Direito ao invés de se dedicar ao mundo das artes.

Sendo assim, foi o que fez Kandinsky. Por pressão da família ele se formou na Universidade de Moscou, se destacando fortemente ao ponto de ganhar uma bolsa de estudos para estudar etnografia.

Carreira profissional

O estudo de etnografia trouxe para a vida de Kandinsky um complexo aprendizado no universo do Direito e do universo acadêmico de um modo geral. Logo, ele chegou a fazer parte de um estudo etnográfico que realizou uma viagem para a região de Vologda, a fim de estudar a jurisprudência e religião criminais tradicionais.

Esse tipo de trabalho o levou a ter um conhecimento muito apurado sobre a arquitetura local, fato que ficou registrado em suas pinturas, onde ele a retrata através de cores fortes. Todavia, outro fator que lhe conferiu destaque e renome, foi quando ele relacionou a pintura com a composição musical, rendendo muitos e frutuosos comentários.

A vida amorosa de Kandinsky foi possível, mesmo que com as altas e turbulentas ações no meio acadêmico. Logo, após assumir um cargo de responsabilidade na Faculdade de Direito de Moscou e passar a gerenciar trabalhos de impressão de arte, Kandinsky viu a possibilidade de consolidar um casamento com Anna Chimyakina.

Entretanto, pouco se sabe da vida amorosa do artista e não temos notícias exatas de como era o relacionamento dos dois. Sendo assim, presume-se que a relação era modelo da época, baseada no tradicionalismo patriarcal comum em todas as partes da Europa.

Nesse sentido, apesar de que há uma observância clara de que Kandinsky se destacou muito na área do Direito, ainda assim esse não era o seu verdadeiro sonho e, portanto, felizmente abandonou a carreira na área para dedicar-se ao mundo das artes.

Academia de Artes de Munique

Como já foi dito anteriormente, foi nessa mesma época, aos trinta anos de idade, que Kandinsky conseguiu ingressar na Academia de Artes de Munique, após muito esforço. Nesse sentido, para que fosse possível conseguir ingressar na Academia, o artista precisou ter aulas particulares constantemente e se dedicou ao máximo para conseguir uma vaga na Academia.

Kandinsky chegou a ter contato com as obras de Monet e ficou extremamente encantado com a qualidade artística das telas, sendo um propulsor para que ele se sentisse incentivado a produzir mais conteúdo artístico-cultural.

Basicamente, estudar na Academia de Artes de Munique era uma árdua tarefa que exigia muito de qualquer estudante. Todavia, Kandinsky, além de superar todas as expectativas como pintor, ainda era um grande destaque como teórico de artes.

Foi nesse momento em que começaram a surgir suas primeiras obras e ele iniciou um belo trabalho de experimentação constante, flutuando entre cores e pontilhados característicos, com pinceladas variadas.

Registrar figuras humanas nunca foi o maior foco da pintura de Kandinsky, aliás, são poucas as obras que retratam pessoas nos cenários pintados.

Mas, nesse meio tempo entre estudos e trabalho, a vida com Anya Chimiaki possivelmente acabou se tornando monótona, o que o levou a conhecer uma outra figura amorosa. Sendo assim, mediante um convite para lecionar pintura, a aluna Gabriele Munter aceitou e partiu com o professor Kandinsky para um curso de verão.

Amante

Todavia, o que deveria ser apenas um curso de verão nos Alpes, lecionando pintura, acabou se tornando um relacionamento amoroso. Logo, isso fez com que houvesse a separação da esposa em 1916. Entretanto, mesmo sendo uma relacionamento que chegou a ter uma grande importância na vida de Kandinsky, a relação extraconjugal durou apenas até o ano de 1917.

Falar de Kandinsky, sem lembrar do universo abstrato das artes, é o mesmo que falar de Lord Voldemort sem lembrar de Harry Potter. Sendo assim, essa configura na maior característica do artista e é principalmente por ela que ele é tão conhecido no mundo todo e suas obras tão valiosas.

Foi em meados de 1910 que Kandinsky aperfeiçoou e desenvolveu o que se tornaria mais tarde uma revolução no universo da pintura. O pintor desenvolveu seus primeiros estudos não figurativos e por esse motivo, foi considerado o primeiro pintor ocidental a produzir uma pintura à óleo abstrata.

É possível observar que a abstração esteve cada vez mais presente nas paisagens retratadas pelo artista. Logo, grande volume dessas telas fazem referência aos verões que o mesmo passou na Alemanha.

Sobre influências, o artista também se destaca por ser um dos primeiros a fazer ligação entre a pintura e a composição. Logo, nessa virtuosa comparação, o mesmo sugere fortemente que há influências de Arnold Schönberg em suas pinturas.

Kandinsky manteve contato com o compositor durante um breve período da sua vida e como sabemos, antes os meios de comunicação não eram tão eficazes. Sendo assim, é preciso imaginar que uma simples carta escrita a mão poderia demorar meses para chegar ao seu destino.

Sobrevivente de guerra

Como comentamos antes, o artista sobreviveu às duas grandes guerras da humanidade: a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. Todavia, quando a Primeira Guerra eclodiu, Kandinsky precisou deixar o país onde era membro da Academia de Artes de Munique.

Nesse período ele estava em companhia da amante Gabriele Munter e se dirigiu à Suíça, na esperança de que o conflito fosse terminar logo. Porém, como isso não aconteceu, o artista precisou voltar para a Rússia, separando-se da amante.

Mas ele não parou de procurar mais afazeres e estava sempre viajando em busca de mais conhecimento e experiências que pudessem agregar na sua carreira. Sendo assim, foi movido por uma exposição em Estocolmo que Kandinsky passa a morar por um tempo na Suécia e lá conhece a terceira companheira da sua vida, a russa Nina Andreievskaya, e com ela posteriormente se casou.

Revolução Russa

Posteriormente a Revolução chama sua atenção e ele volta para Moscou em busca de mais conhecimento a respeito dos rumos políticos que o país tomaria.

A Revolução Russa trouxe esperança, não apenas para Kandinsky, mas para todos os artistas russos, afinal, o fim da censura czarista floresceu no campo das artes e possibilitou uma grande onda de criação entre os artistas. Sendo assim, movido por um instinto pós revolucionário, Kandinsky se tornou membro ativo da administração cultural de Anatoly Lunacharsky.

Esse período ficou marcado na vida do artista, pois ele foi um dos fundadores ao passo que se tornou Diretor do centro. Sendo assim, a partir de então foi um membro ativo na política e cultura, trabalhando ativamente na reconstrução de museus e educação artística.

De um modo geral, esse período ficou marcado pela forte presença do artista em atuação no magistério e por isso não são encontradas muitas obras desse período da sua vida como pintor. Logo, posteriormente, outros fatos vão contribuir para que ele produza um material vasto e riquíssimo do ponto de vista da originalidade.

Ainda na Rússia, Kandinsky percebe uma influência muito forte em relação às produções artísticas naquele momento e percebe que essas influências eram movidas pelo momento político da época. Sendo assim, como sua arte não se prendia a essas questões, Kandinsky retornou para a Alemanha em 1921.

você pode gostar também
Comentários