Rita Lee

Uma das cantoras brasileiras de maior influência no Brasil, Rita Lee, tem mais de 50 anos de carreira e ao longo dos anos foi conquistando seu espaço. Migrou por gêneros diferentes na música, passando pelo rock e também pela Bossa Nova, mas sempre com um jeito único de se expressar.

A cantora brasileira, luta pelo direito das mulheres desde sempre. Se tornou uma artista que é ativista pelos direitos da mulher, inclusive se tornou a primeira cantora a tocar guitarra durante seus shows.

Se tornou um grande ícone entre os anos 1960 até 1980, lançando grandes sucessos. Rita Lee foi e ainda é importante para o cenário musical nacional. Até os dias de hoje, continua sendo uma grande referência para o estilo rock, sem contar em todas as suas inúmeras reinvenções na música.

Para saber mais e conhecer um pouco da vida e carreira de Rita Lee, continue lendo.

Fatos rápidos sobre a vida de Rita Lee

NomeRita Lee Jones de Carvalho
GêneroFeminino
Famosa comoCantora/ instrumentista/ compositora/ escritora e ativista.
NacionalidadeBrasileira
NascimentoDia 31 de dezembro de 1947 (73 anos)
CônjugeRoberto de Carvalho
FilhosBeto/ João e Antônio

Quem é Rita Lee?

Rita Lee é uma cantora brasileira, que faz parte do cenário musical nacional e internacional. Sua carreira é repleta de grandes músicas de sucesso, assim como alguns prêmios importantes na história da música.

Por ter começado a se interessar por música ainda muito nova, aprender a tocar piano e então migrou para outros instrumentos. Com tanta noção de música, passou a escrever canções até que montou sua primeira banda.

No decorrer de sua trajetória, Rita Lee foi se adaptando ao mercado e montando bandas para continuar entregando o seu trabalho em um estilo completamente único. A cantora se dedicou mais ao rock, depois de já estar em carreira solo.

Dessa forma conseguiu entregar melhor o seu estilo e talento e se tornou um ícone nacional. Quando recebeu o Grammy, tudo passou a fazer sentido em sua carreira, principalmente pela visibilidade do seu trabalho em toda a América Latina.

Em sua vida pessoal, tem um relacionamento feliz com Roberto de Carvalho, com quem teve três filhos. Além disso, também escreveu um livro, uma autobiografia onde conta sobre sua vida e fala dos bastidores da sua carreira.

A cantora que almejava ser atriz quando criança, se tornou uma das maiores cantoras de rock do Brasil. Em 2016 assumiu seus fios brancos, fugindo do vermelho que marcou sua presença durante tantos anos. Rita Lee sempre teve uma imagem muito forte em vários aspectos, tanto presencialmente, como em suas atitudes como mulher, como cantora, como artista e como mãe.

Rita Lee: infância e juventude

Nascida em São Paulo, na véspera do ano novo, Rita Lee tem no sangue a descendência de americanos e italianos. Além dela, em sua família conta com mais duas irmãs, viveram boa parte de sua infância e juventude na Vila Mariana, Zona Sul da capital paulista.

Seus pais Charles Fenley Jones e sua mãe Romilda Padula, tiveram Rita, Mary Lee Jones e Virgínia Lee Jones. A família leva o nome de Lee, devido a uma homenagem que seu pai quis fazer Robert E. Lee, general do exército norte americano.

Inicialmente seu nome seria Maria Rita e não somente Rita, mas no último momento os pais decidiram simplificar.

Durante a infância, foi quando se apegou pelo gosto da música e aprendeu a tocar piano. Naquela época não tinha vontade de se tornar uma cantora e muito menos do gênero do rock, mas sim se tornar atriz.

Além de ser atriz, Rita Lee, também tinha vontade de seguir a carreira de veterinária, ou ser dentista, mesma profissão de seu pai.

Na música, suas principais influencias ao longo da vida foram Elvis Presley, Rolling Stones, Dalva de Oliveira, Angela Maria, Beatles, Paul and Mary, Tito Madi, Carmem Miranda e muitos outros.

Na adolescência, seu gosto pela música passou a ficar mais aflorado. Começou então a compor suas primeiras m´sucias, junto de amigos e também passou a se apresentar em alguns clubes da região. No ano de 1963, juntou com mais duas amigas e formaram o grupo “Teenage Singers”, fazendo pequenos shows em festas de colegial.

O trio conheceu outro tio, os Wooden Faces e juntos fizeram uma gravação com vocais, para o álbum de nome Prini Lorez. Os dois grupos então se uniram e formaram o Six Sided Rockers, que era conhecido como “Os Seis”.

Durante uma entrevista, Rita Lee, revelou que no bairro onde cresceu, é de onde tem as melhores lembranças de sua vida. Deu início em sua vida escolar no Liceu Pasteur, um colégio franco brasileiro. Ao longo da vida aprendeu vários idiomas, se tornando poliglota. Fala português, francês, italiano, inglês e castelhano.

Ao entrar para a Universidade de São Paulo, cursou Comunicação Social em 1967, estudando inclusive, junto com Regina Duarte. Porém, não se adaptou ao curso e saiu logo no primeiro período.

Início da carreira

A carreira de Rita Lee já havia começado, porém entre os anos de 1966 e 1972, passou a fazer parte do grupo “Os Mutantes”. Junto com Sérgio Dantas e Arnaldo Baptista, montaram a banda, cantando, tocando percussão e flauta e com performances inesquecíveis.

No ano de 1967, a banda tocou na terceira edição do Festival de Música Popular Brasileira, acompanhando Gilberto Gil durante a sua apresentação. A música “Domingo no Parque”, ficou conhecida na voz de todos os quatro e a apresentação ficou marcada na história dos músicos.

Ao longo da trajetória da banda, seis álbuns foram gravados. O de 1968 se tornou um dos mais importantes da história da música no Brasil, com hits como “Balada do Louco”, Dom Quixote”, “A Minha Menina”, “Ando Meio Desligado” e “Dois Mil e Um”.

Nessa época também a cantora se casou com um dos companheiros, Arnaldo, entre os anos de 1968 e 1972. Se divorciou em 1977.

A consagração nacional de Rita Lee se deu por volta dos anos de 1973 e 1978, quando junto de uma amiga, formaram uma dupla folk rock. Sua amiga Lúcia Turnbull, se uniu ao projeto e juntos, gravaram “As Cilibinas do Éden”.

Porém, pouco tempo depois, ambas desistem da dupla, e transformam o projeto em uma banda, chamada de “Tutti Fruti”. Nessa época dois novos membros entraram, Lee Marcucci e Luis Sérgio Carlini.

Como cantora e pianista, Rita Lee também tocava violão e gaita na banda. Foi quando juntos, os quatro assinaram o contrato com a Philips, uma gravadora que exigiu que o nome fosse “Rita Lee & Tutti Frutti”.

Lembrando que naquela época, em tempos de censura, alguns executivos não gostaram do nome da banda. Ainda assim uma música foi gravada, e depois com a Som Livre, outros discos foram lançados.

Durante a ditadura militar, Rita Lee passou por momentos muito conturbados na carreira e na vida pessoal. Devido a uma crise de estresse, ela precisou ficar afastada durante o processo de mixagem de um de seus projetos com a banda, e então conhecer Roberto de Carvalho, que se tornou seu namorado e depois marido.

Quando estava grávida de seu primeiro filho e já morando junto com Roberto, foi pega com maconha e então presa. Por estar no regime militar, e estar na música, a cantora deveria ser considerava um exemplo para a juventude, e mesmo alegando ter deixado de usar drogas pela gravidez, foi condenada e ficou presa por um ano em casa.

Carreira solo

Depois de lançar a música “Babilônia”, a banda Tuti Frutti se desfez e então Rita Lee Com Roberto, decidiram seguir carreira como dupla. A dupla começou a fazer sucesso fora do país, fazendo com que a cantora também começasse a ter reconhecimento internacional.

Uma das principais canções que ficaram mais conhecidas nessa época foi “Mania de Você”, “Chega Mais”, “Doce Vampiro” e “Papai me Empresta o Carro”. Essas novas gravações fizeram com que o nome de Rita fosse conhecido lá fora.

“Lança Perfume”, ficou em 7º lugar nas paradas da Billboard quando a dupla lançou seu segundo álbum. Ao longo dos anos, o casal continuou trabalhando e lançando diversos trabalhos, com muitos hits nacionais que fizeram sucesso, até que optaram por se dedicar a carreira solo de Rita Lee.

Roberto então deixou os palcos, mas nunca de acompanhar sua amada. O último álbum da dupla foi lançado em 1990. Depois disso, a cantora passou a seguir carreira solo.

Sua primeira turnê sozinha aconteceu em 1993, com um estilo bem mais rock natural. Com isso, a cantora começou a se dedicar e conquistar cada vez mais espaço na música e então finalmente se casou.

Realizou diversas parcerias com Cássia Eller, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Milton Nascimento e muitos outros. Um de seus álbuns de maior sucesso o “3001” foi lançado em 2001, com hits como “Erva Venenosa” e foi considerado o melhor disco de rock, levando até o Grammy.

Rita Lee: marido e filhos

O relacionamento de Rita Lee com Roberto de Carvalho começou em 1976. Desde então se tornaram grandes parceiros na vida pessoal e também na profissional. Roberto chegou a se tornar dupla da cantora durante alguns anos, quando ela iniciou sua carreira fora do Brasil.

Juntos tiveram três filhos, eles Beto Lee, João e Antônio. Beto se tornou guitarrista dos pais, os acompanhando em diversos shows ao longo da carreira solo de Rita Lee.

Prêmios importantes

Durante sua longa trajetória na história da Música, Rita Lee conquistou alguns prêmios. Dentre eles, um dos mais importantes foi seu primeiro Grammy Latino. Mesmo sendo indicada por 7 vezes, a única vitória já foi uma grande vitória para a cantora.

Além do Grammy, Rita também recebeu o Prêmio Sharp de Música, ganhou o Top 100 Brazil, entre vários outros prêmios do universo musical. Além de receber, foi indicada por diversas vezes em várias premiações.

Levando algumas delas, e enquanto outras não. Uma das indicações mais marcantes da história da carreira da cantora, foi no MTV Video Music Brasil, e também o Prêmio Multishow. Em ambas as indicações Rita Lee não levou, mas ainda assim, os prêmios fazem parte de sua lista de indicações.

No total foram 40 indicações, levando para casa 22 prêmios. Além disso, no Grammy Latino, a cantora foi indicada por vários anos seguidos em categorias diferentes. Levou o prêmio no ano de 2001 com o álbum “3001” na categoria de melhor álbum de rock em português.

Em 2004 recebeu duas indicações, uma por melhor canção, com o hit “Amor & Sexo” e outra de Melhor álbum pop contemporâneo. No ano de 2005 a indicação foi a mesma, seguindo nos anos de 2009 e 2012.

Porém, no ano de 2008, Rita Lee foi indicada como artista revelação e mesmo não levando o prêmio, esse acabou se tornando uma de suas maiores conquistas, já que é uma categoria de muita visibilidade.

Legado de Rita Lee

Rita Lee se tornou uma grande inspiração para outros cantores da nova geração. Lançou recentemente sua autobiografia, em 2016, contando um pouco de sua história por trás dos bastidores.

Além disso, sempre foi uma entusiasta por defender os direitos das mulheres e com isso, e como ativista, influencia e inspira mulheres e meninas a seguirem seus sonhos e realizar tudo aquilo que têm vontade.

Depois de se aposentar a abandonar os palcos, a cantora fez poucos shows, mas está sempre presente nas redes sociais. Mas por amar tanto a música, é difícil que ela se mantenha afastada do microfone por muito tempo.

Existem especulações sobre uma live que a cantora pode fazer, para matar a saudade dos fãs, mas não há nada confirmado ainda.

Rita Lee com certeza abriu muitas portas para outras mulheres no universo da música e principalmente do rock. Contribui para a história e fortemente para a música brasileira. Seu estilo deixou marcas assim como toda a sua trajetória.

Rita Lee é considerada como a rainha do rock nacional. Por sua história de sucesso, muitas outras cantoras se revelaram para também fazer parte da história da música brasileira. Seu legado deve permanecer, assim como suas músicas que marcaram épocas e são tocadas até os dias de hoje.