O recém-lançado AirPods 3 vem com uma série de melhorias em relação à geração anterior. De acordo com usuários, o novo produto possui hastes mais curtas, um novo case de bateria com suporte para MagSafe e Spatial Audio. Um relatório divulgado hoje pelo site TrendForce indica que existe um aprimoramento adicional importante nos novos fones da marca.

A Apple usa sensores infravermelhos para detectar quando os AirPods 3 são inseridos em seus ouvidos ou removidos deles. Isso ativa o recurso de reprodução e pausa automática. Essa tecnologia tem sido o diferencial novo produto da empresa.

Essa detecção às vezes pode ser enganada principalmente quando o usuário coloca AirPods soltos em uma mesa ou em seu colo por um curto período de tempo. A Apple mencionou em uma linha uma maneira mais inteligente de evitar isso.

Um novo sensor de detecção de pele distingue com precisão se os AirPods 3 estão no ouvido – em vez de em um bolso ou em uma mesa – e pausa a reprodução quando removidos. 

Leia mais:

O domínio da tecnologia do infravermelho no AirPods

Um novo relatório da cadeia de suprimentos da TrendForce mostra que por meio da integração da tecnologia PPG (fotopletismografia), o AirPods 3 contém um mecanismo de detecção intra-auricular aprimorado com base em sensores de detecção de pele que são equipados com quatro chips LED SWIR (infravermelho de onda curta).

A empresa de inteligência de mercado diz que a Apple está liderando esta tecnologia no mercado, e que outras marcas de fones de ouvido provavelmente usarão a mesma tecnologia quando ela se tornar mais acessível.

É amplamente divulgado que a Apple está trabalhando para trazer recursos de saúde do estilo Apple Watch para AirPods. O relatório da TrendForce diz que isso será possível com a mesma tecnologia de sensor combinada com algoritmos melhores.

Com melhorias em seu algoritmo, os acessórios da Apple estão cada vez mais eficientes para apresentar funções de biossensor com base em PPG, que podem medir não apenas a frequência cardíaca e os níveis de oxigênio no sangue.

Fonte: TrendForce