As Melhores Notícias Sobre Tecnologia, Games e Muito Mais

Faturamento da Black Friday 2022 teve queda em relação ao ano passado

No ano de 2022, o faturamento da Black Friday não correspondeu às previsões do mercado e o período foi encerrado com queda, em comparação com vendas do ano passado. Logo, pode ter sido um balde de água fria para as varejistas que atuam no país.

A Confi Neotrust, em parceria com a ClearSale, ambas empresas especializadas em Inteligência de Dados, realizaram um monitoramento hora a hora durante a promoção mais esperada do ano. Dessa forma, veja a seguir resultados divulgados por elas sobre a data no país.

Faturamento da Black Friday 2022

O evento mais esperado do ano pelo varejo nacional e de várias partes do mundo não teve um resultado muito bom no Brasil. Então, os números vão de encontro à diversas pesquisas realizadas antes da Black Friday 2022, que previam um crescimento no faturamento como um todo, além de aumento no número de pedidos nos e-commerces e no ticket médio das transações.

As empresas varejistas adotaram táticas diferentes esse ano, como forma de tentar seguir as tendências do mercado e do público consumidor, além das mudanças observadas nos padrões de consumo das pessoas. No entanto, alguns fatores que deviam ajudar no faturamento da Black Friday não tiveram tanto sucesso e podem ter interferido de forma negativa no desempenho das marcas como um todo.

Vendas em 2021

No ano de 2021, o período registrou cerca de R $7,9 bilhões em vendas, um número expressivo, se levar em conta que não havia outro evento simultâneo à Black Friday. Dessa forma, com base em análises de tendências e do crescimento dos anos anteriores, a expectativa era alta para o evento sazonal do corrente ano.

Mesmo com tantas projeções, o ano de 2022 pode ser considerado como um balde de água fria nas varejistas. Afinal, as análises de especialistas afirmaram, ainda no fim de semana da promoção, que o faturamento da Black Friday, mesmo com uma melhora nas vendas dos últimos dias da promoção, fechariam no máximo no zero a zero.

O fato não ocorreu, tendo em vista que o evento fechou com números em queda. Portanto, o decréscimo pode ser explicado pela aversão que o público apresentou às promoções de Black Friday dos últimos anos, muito em razão do volume de denúncias que as empresas recebem no período pelos mais diversos motivos, como ofertas com descontos falsos ou até mesmo uma experiência negativa de outra natureza com eventos de anos passados.

A queda foi observada ainda no ticket médio dos pedidos e também na quantidade destes feitos nos sites das varejistas. Por isso, veja com exatidão os resultados do faturamento da “Black” 2022 e qual foi a porcentagem de queda em relação a 2021.

Resultados de 2022

O total de vendas da Black Friday 2022, em valores, atingiu a casa dos R $6,1 bilhões, um número muito alto, é verdade. Contudo, em comparação com 2021, a queda foi de cerca de 23%, resultado muito divergente às previsões para o período, que apontavam crescimento na casa dos dois dígitos percentuais.

Em total de pedidos realizados, o ano de 2021 registrou, nesse período, uma queda de quase 12% em relação ao ano passado, já que durante os quatro dias principais do evento, de quinta-feira a domingo, o número chegou a 9.959.851 milhões. Dessa forma, seria quase impossível que as vendas na Black Friday fossem maiores, já que o decréscimo foi apontado em mais variáveis.

Foi o caso do ticket médio, que caiu cerca de 6,13% também em relação ao mesmo período já citado, o que resultou em um valor médio de apenas R $618,16, número esse que também surpreendeu de forma negativa. Afinal, pesquisas encomendadas por vários órgãos importantes apontavam um interesse do público consumidor em gastar mais do que no ano passado, o que pode ter causado desistência frente aos preços praticados pelas lojas, supõe-se.

Na Cyber Monday, o ticket médio registrado foi de R $493,95, mas não há um número que possa ser comparado com a média do ano anterior na data. Porém, na quantidade de produtos vendidos a queda foi de 12%, o que somado às demais métricas, resultou no não crescimento do faturamento da Black Friday.

Impacto da Copa do Mundo no faturamento da Black Friday

Devido à data que o evento de Seleções nacionais FIFA está sendo realizado esse ano, de forma excepcional, esperava-se um grande impacto nas vendas da Black Friday também. Mas, o comportamento dos consumidores foi o contrário do esperado e os jogos podem ter atrapalhado as compras durante o evento.

Mesmo com esse resultado observado, a Head de Inteligência da agência “Confi” se pronunciou sobre o faturamento da Black Friday: “Apesar das baixas vendas, notamos um comportamento do consumidor moldado pelos jogos da Copa do Mundo. As TVs e o setor de alimentos e bebidas, por exemplo, receberam maior atenção do cliente e estão entre as categorias de destaque desta Black Friday”.

O aumento nas vendas de televisores já era previsto por todas as pesquisas que a equipe deste site teve acesso. No entanto, era esperado que estes números se somassem aos demais para um final mais positivo para as varejistas, o que não foi possível.

Departamentos com maior volume de vendas

Alguns departamentos se destacaram nas vendas, como foi o caso dos eletrodomésticos, muito em função da procura alta por TV ‘s, que chegou a gerar filas em lojas físicas nessa Black Friday. Do mesmo modo, o mesmo foi seguido pelos eletrônicos, telefonia, moda e acessórios e informática, em geral.

Os segmentos foram os que mais se aproximaram das previsões do faturamento da Black Friday, na grande maioria dos estudos. Logo, foram os “salvadores da pátria”, já que a situação poderia ter sido bem pior para as empresas.

Maior público consumidor

Ainda de acordo com os dados da pesquisa da Confi Neotrust e ClearSale, o público que mais fez compras no período foi o feminino, que registrou incríveis 57,44%. Por sua vez, esses pedidos foram distribuídos entre os mais diversos segmentos.

Formas de pagamento mais escolhidas

Seguindo previsões, a forma de pagamento mais escolhida pelo público nacional foi o cartão de crédito, responsável por pouco mais de 50% das transações nesse período sazonal. Em seguida, vieram o e-wallet, cashback e débito, que juntos somaram 25,94%, o PIX com 15,05% de presença e o boleto, cerca de 8,8%.

O alto número observado nas compras por PIX podem ser explicados pelos descontos que as lojas aplicaram nessa forma de pagamento, que somados ao preço promocional, tornavam a aquisição ainda mais interessante. Então, tomou grande parte das vendas que costumavam ser feitas via boleto, mas que por sua vez eram muito passíveis de fraude.

Número de fraudes registradas

Para as pessoas que compraram na Black Friday 2022, o evento pode ter sido conturbado, como nos anos anteriores. Afinal, o número de fraudes evitadas também caiu, e só foram impedidas 57.734 tentativas de golpes, uma queda de 21%. Em relação aos valores, em 2022 atingiram R $72,3 milhões, frente aos R $74 milhões observados no ano passado.

Mais detalhes sobre o faturamento da Black Friday 2022

As empresas optaram por diluir as promoções durante todo o mês de novembro, em sua grande maioria, mas isso pode ter causado um impacto negativo no faturamento da Black Friday. Isso porque muitas pessoas não tinham tempo de buscar as ofertas todos os dias e nem mesmo as live commerces salvaram as vendas com seus cupons extras, oferecidos durante as transmissões.

Vale destacar que todos esses dados relativos à quedas de faturamento foram avaliados com base nos quatro principais dias do evento. Por isso, esses números são referentes ao período do dia 24/11 à 27/11, de quinta-feira a domingo.

A incerteza financeira para o ano de 2023 pode ter causado a diminuição de compras por impulso por parte do público em geral, segundo Marcelo Queiroz, Head de Estratégia de Mercado da ClearSale. Dessa forma, o resultado da Black Friday 2022 só superou a do ano de 2019, tendo queda relativa à 2020 e 2021.

você pode gostar também
Comentários