O Melhor guia informativo sobre compras na internet.

Melhores Livros de Fantasia: TOP 12(Duna, Outlander…)

Quer saber quais os melhores livros de fantasia para acrescentar na sua lista de leituras? Confira nossa seleção e encontre a opção perfeita.

A fantasia e as histórias que fogem da realidade são uma alternativa maravilhosa para sair da rotina através da leitura – com universos e personagens envolventes, é difícil parar de ler os livros até seus finais.

Melhor ainda, a maior parte dos livros de fantasia são sagas, o que aproxima ainda mais o leitor da história, já que é possível passar “mais tempo” com cada um dos personagens.

Os 12 melhores livros de fantasia:

Que conhecer sua próxima saga de fantasia preferida? Confira a seguir a lista:

Deuses Americanos – Neil Gaiman

Imagem com Deuses Americanos - Neil Gaiman
Foto: Deuses Americanos – Neil Gaiman

Para abrir a lista de melhores livros de fantasia, dizem que Deuses Americanos, assim que foi lançado, foi chamado de clássico imediato. O início dessa saga traz a trajetória de Shadow Moon, recém-saído da prisão, que começa a trabalhar para um estranho homem chamado Wednesday.

Na nova vida, ele acaba por conhecer um submundo em que deuses antigos – Odin, Nancy, Bilquis – e novos Sr. World, garoto técnico e Media – encontram o leitor e personificam a guerra, o amor, o sexo, globalização e tecnologia.

O próprio autor explica que, para a escrita do livro, anotou ideias que teve enquanto viajava pelos Estados Unidos. Um livro muito diferente, inusitados e revelador. Cru, mas, ainda assim, poético. Vale a pena ler.

Religiões são, por definição, metáforas, apesar de tudo: Deus é um sonho, uma esperança, uma mulher, um escritor irônico, um pai, uma cidade, uma casa com muitos quartos, um relojoeiro que deixou seu cronômetro premiado no deserto, alguém que ama você – talvez até, contra todas as evidências, um ente celestial cujo único interesse é assegurar-se que o seu time de futebol, o seu exército, o seu negócio ou o seu casamento floresça, prospere e triunfe sobre qualquer oposição. Religiões são lugares para ficar, olhar e agir, pontos vantajosos a partir dos quais se observa o mundo.

Deuses Americanos – Neil Gaiman

O Nome do Vento – Patrick Rothfuss

Imagem com O Nome do Vento - Patrick Rothfuss
Foto: O Nome do Vento – Patrick Rothfuss

O livro 1 da trilogia é narrado magistralmente por Kote, um enigmático proprietário de uma hospedaria, em que seu passado vai, passo a passo, sendo desvendado desde a infância, quando ele ainda tinha apenas a perspectiva de se tornar um mago.

É um mundo de magia e de criaturas fantásticas, com magos, ladrões e assassinos.

Como ele foi parar ali? Os personagens são cativantes, e toda a jornada de aprendizado e de saber o nome do vento fará com que o livro seja devorado, tal qual aconteceu com George R. R. Martin, famoso por sua série que virá logo abaixo. Aposte nesta fantasia!

(…) Existe a porta do esquecimento. Algumas feridas são profundas demais para cicatrizar, ou profundas de mais para cicatrizar depressa. O provérbio ‘O tempo cura todas as feridas’ é falso. O tempo cura a maioria das feridas. As demais ficam escondidas atrás dessa porta. Terceiro, existe a porta da loucura. Há momentos em que a mente recebe um golpe tão violento que se esconde atrás da insanidade. Ainda que isso não pareça benéfico, é. Há ocasiões em que a realidade não é nada além do penar, e, para fugir desse penar, a mente precisa deixá-la para trás. Por último, existe a porta da morte. O último recurso. Nada pode ferir-nos depois de morrermos, ou assim nos disseram.

O Nome do Vento – Patrick Rothfuss

Harry Potter e a Pedra Filosofal – J.K. Rowling

Imagem com Harry Potter e a Pedra Filosofal - J.K. Rowling
Foto: Harry Potter e a Pedra Filosofal – J.K. Rowling

A saga Harry Potter criou uma legião de fãs pelo mundo, e não é para menos. A história cativante do menino que sobreviveu traz a forte ideia da importância de manter os ideais, a amizade e a busca pelo que é certo.

O mundo bruxo é envolvente e, até hoje, vive no imaginário doas que foram crianças e cresceram com Harry Potter, e dos que leram e viram os filmes depois de adultos. Os livros se adensam conforme a série, mas o primeiro vale a pena ser lido em qualquer idade – Com 11 ou com 80, descobrir Hogwarts será mágico.

É, de fato, um dos melhores livros de fantasia!

Harry apanhou a varinha. Sentiu um repentino calor nos dedos. Ergueu a varinha acima da cabeça, baixou-a cortando o ar empoeirado com um zunido, e uma torrente de faíscas douradas e vermelhas saíram da ponta como um fogo de artifício, atirando fagulhas luminosas que dançavam nas paredes. Hagrid gritou entusiasmado.

Harry Potter e a Pedra Filosofal – J.K. Rolling

Game of Thrones – George R. R. Martin

Imagem com Game of Thrones - George R. R. Martin
Foto: Game of Thrones – George R. R. Martin

George R. R. Martin ganhou o mundo com as Crônicas de Fogo e Gelo, conhecida pelo nome Game of Thrones, ou A Guerra dos Tronos, em português.

No mundo de Westeros, um continente dominado pela sede pelo poder, famílias se colocam na luta pelo trono, já usurpado. Enquanto isso, o inverno está chegando e o que espreita não é nada comum.

A trama é descentralizada e os personagens icônicos se conectam, cada um com sua narrativa. Os livros de fantasia deram origem a série, um enorme sucesso mundial.

Vale a pena ler os livros, que ainda não foram finalizados, e há diferenças entre a série e a saga, especialmente nos últimos livros lançados. Não deixe de conferir.

Nunca se esqueça quem você é, pois certamente o mundo não vai. Se fizer disso a sua força nunca poderá ser a sua fraqueza. Arme-se com isso, e isso nunca vai ser usado para prejudicá-lo.

Game of Thrones – George R. R. Martin

Outlander – Diana Gabaldon

Imagem com Outlander - Diana Gabaldon
Foto: Outlander – Diana Gabaldon

E se você viajasse no tempo sem querer, e entrasse em uma época hostil e passada? E se você fosse casada, amasse seu marido, mas seu antepassado, que tem a mesma aparência dele, é uma pessoa horrível? Essa é a trama de Outlander, escrita por Diana Galbadon.

Claire viaja no tempo, para longe de Frank, logo depois da Segunda Grande Guerra, e acaba precisando descobrir como sobreviver no passado, pelo menos até descobrir como voltar. No entanto, o amor acontece, e Jamie é irresistível. É muito difícil não se apaixonar por esses personagens e, praticamente, engolir as páginas desse livro de fantasia cheio de ação e romance.

Parecia inconcebível, mas todas as evidências indicavam que eu estava em algum lugar onde os costumes e a política do século XVIII ainda vigoravam. Eu teria imaginado que tudo não passava de algum tipo de espetáculo à fantasia, se não fosse pelos ferimentos do jovem a quem chamavam de Jamie. Aquele ferimento fora realmente provocado por algo muito semelhante a um tiro de mosquete, a julgar pelos estragos que deixara.

Outlander – Diana Gabaldon

Jogos Vorazes – Suzanne Collins

Imagem com Jogos Vorazes - Suzanne Collins
Foto: Jogos Vorazes – Suzanne Collins

Suzanne Collins narra a história de Katniss de forma sensacional. Em um mundo distópico chamado Panem, onde um dia houve a América do Norte, os distritos são dominados pela Capital. Katniss faz parte do 12° distrito, o mais pobre de todos. Todos os anos, para lembrar de uma revolta que ocorreu há anos, são organizados Os Jogos Vorazes.

Jovens de todos os distritos são sorteados através da Colheita para participar de uma competição televisionada por suas vidas. Ganha o tributo que sobreviver. Os personagens são envolventes, e temas como a pobreza, a opressão e a revolução são fantasticamente trabalhados. Os livros de fantasia viraram filmes que consagraram a história, e não para menos.

As regras dos Jogos Vorazes são simples. Como punição pelo levante, cada um dos doze distritos deve fornecer uma garota e um garoto – chamados tributos – para participarem. Os vinte e quatro tributos serão aprisionados em uma vasta arena a céu aberto que pode conter qualquer coisa: de um deserto em chamas a um descampado congelado. Por várias semanas os competidores deverão lutar até a morte. O último tributo restante será o vencedor.

Jogos Vorazes – Suzanne Collins

Duna – Frank Herbert

Imagem com Duna - Frank Herbert
Foto: Duna – Frank Herbert

Essa obra de Frank Herbert voltou à tona com o remake que foi lançado no cinema ainda ainda 2022. Essa ficção científica acompanha Paul Atreides, que precisa lidar com uma complexa trama de poder e religião, além das suas visões de uma garota misteriosa.

Se passa em um universo tão distante que a tecnologia já foi há muito esquecida, apesar de existir para determinadas funções surpreendentemente interessantes no livro. As origens da humanidade foram perdidas e são imersas na trama. Figura ao lado de Tolkien. Vale a pena encarar as muitas e ótimas páginas desse livro de fantasia.

Não terei medo. O medo mata a mente. O medo é a pequena morte que leva à aniquilação total. Enfrentarei meu medo. Permitirei que passe por cima e através de mim. E, quando tiver passando, voltarei o olho interior para ver seu rastro. Onde o medo não estiver mais, nada haverá. Somente eu restarei.

Duna – Frank Herbert

O Ladrão de Raios – Rick Riordan

Imagem com O Ladrão de Raios - Rick Riordan
Foto: O Ladrão de Raios – Rick Riordan

Um dos melhores livros para iniciar no mundo da leitura de fantasia, o leitor acompanha a história de Percy, que descobre ser filho de Poseidon, e, por isso, um semi-deus. Ele, então, adentra ao que chamam de Acampamento Meio-Sangue.

Envoltos em confusões mitológicas muito envolventes, Percy e seus amigos precisam lutar e usar da inteligência para provar suas inocências diante de um roubo no Olimpo. A leitura é completamente empolgante, e a série inteira vai ser lida em um piscar de olhos. Aposte.

pai lhe contou sobre seu nascimento, e tente levar uma vida normal. Ser um meio-sangue é perigoso. É assustador. Na maioria das vezes, acaba com a gente de um jeito penoso e detestável. Se você é uma criança normal, que está lendo isto porque acha que é ficção, ótimo. Continue lendo. Eu o invejo por ser capaz de acreditar que nada disso aconteceu. Mas, se você se reconhecer nestas páginas – se sentir alguma coisa emocionante lá dentro -, pare de ler imediatamente. Você pode ser um de nós. E, uma vez que fica sabendo disso, é apenas uma questão de tempo antes que eles também sintam isso, e venham atrás de você. Não diga que eu não avisei.

O Ladrão de Raios – Rick Riordan

The Witcher – Andrzej Sapkowski

Imagem com The Witcher - Andrzej Sapkowski
Foto: The Witcher – Andrzej Sapkowski

Um dos últimos bruxos vivos, Geralt é o personagem principal dessa saga de fantasia que conquistou o mundo dos games, e, agora, tem conquistado as plataformas de streaming. Nesse universo, bruxos como Geralt de Rívia possuem poderes sobre-humanos e são capazes de acabar com criaturas perigosas.

Seu destino se interliga com uma princesa e com uma feiticeira, e as repercussões desse vínculo fazem com que a história envolva o leitor de forma intensa. Há toda a questão da aventura, suspense, honra, sem faltar espaço para personagens que representam certos alívios cômicos. É uma excelente saga de fantasia que tem motivo para ser famosa e adaptada até hoje.

Um mal é um mal. Menor, maior, médio, tanto faz… As proporções são convencionadas e as fronteiras, imprecisas. Não sou um santo eremita e não pratiquei apenas o bem ao longo de minha vida. Mas, se me couber escolher entre dois males, prefiro abster-me por completo da escolha.

The Witcher – Andrzej Sapkowski

Trono de Vidro – Sarah J. Maas

Imagem com Trono de Vidro - Sarah J. Maas
Foto: Trono de Vidro – Sarah J. Maas

Celaena Sardothien é uma prisioneira de Adarlan, um reino distante. Na expectativa de saber o momento da sua morte, por sua sentença, acaba por receber uma proposta do príncipe de Adarlan – representá-lo em um torneio em que precisa lutar pela sua sobrevivência. Como assassina, ela parece a escolha perfeita.

Caleane acaba descobrindo que os perigos não se resumem ao torneio, e também a cercam pelo castelo. Entende também que a vida existe para além do campo de batalha – há amor, amizade e laços, situações que nunca imaginou viver. Um livro de fantasia intenso e viciante, assim como toda a saga.

Ela venceria. Venceria e serviria o rei. Depois, desapareceria para sempre e nunca mais pensaria em castelos, reis ou assassinos. Celaena não desejava reinar sobre a cidade novamente. A magia estava morta, os feéricos tinham sido banidos ou executados, e ela nunca mais teria nada a ver com a ascensão ou a queda de reinos. Celaena não tinha destino. Não mais.

Trono de Vidro – Sarah J. Maas

De Sangue e Cinzas – Jennifer L. Armentrout

Imagem com De Sangue e Cinzas - Jennifer L. Armentrout
Foto: De Sangue e Cinzas – Jennifer L. Armentrout

Poppy, a personagem principal do livro De Sangue e Cinzas, de Jennifer L. Armentrout, é A Donzela, marcada desde seu nascimento para salvar o reino. Com isso, seus deveres são pesados. Em um mundo criado do zero, tem mapa e mitologia próprios para o desenvolvimento da trama.

O guardião encarregado de garantir sua Ascenção, Hawke, a faz questionar seu dever e suas imposições – as que nunca passaram pelo crivo de sua escolha. Até onde é possível ser digna, até onde é possível abrir mão dos próprios desejos?

A morte é como uma velha amiga que faz uma visita: às vezes, surge quando menos se espera, e outras, quando você está esperando por ela. Não é a primeira nem a última vez que a morte faz uma já visita, mas ela não deixa de ser dura e implacável.

De Sangue e Cinzas – Jennifer L. Armentrout

Divergente – Veronica Roth

Imagem com Divergente - Veronica Roth
Foto: Divergente – Veronica Roth

Por fim, o mundo criado na trilogia de Veronica Roth ganhou o mundo, e não para menos: aos 16, cada pessoa de uma Chicago futurista precisa escolher em que facção deseja integrar – Amizade, Abnegação, Franqueza, Audácia ou Erudição. Beatrice – Tris – nasceu na Abnegação, mas acaba escolhendo a Audácia, a facção dos que não tem medo.

Cada uma das facções é responsável por um setor da sociedade. Tris decide deixar a família por sua verdadeira vocação, mas esconde um segredo – o seu teste de aptidão a torna divergente, ou seja, capaz de existir em mais de uma facção, o que ameaça a sociedade na sua organização. Ao descobrir uma possível ameaça à sua família, seu caráter é posto a prova.

Há, ainda, um romance irresistível. Vale a pena ler mais esta fantasia!

Quando nos levantamos, de mãos dadas, me dou conta de que, se nós dois tivéssemos feito escolhas diferentes, talvez acabássemos fazendo a mesma coisa, em um lugar mais seguro, usando roupas cinza em vez de pretas.

Divergente – Veronica Roth

As pessoas também querem saber:

Qual o melhor livro para começar a ler fantasia?

Harry Potter e Percy Jackson são ótimas opções para todas as idades, embora sejam muito indicados para o público jovem, por serem muito envolventes e nada rasos em suas histórias.

Qual é o livro de fantasia mais vendido?

O maior clássico é O Senhor dos Anéis, de Tolkien. É considerado, para muitos, o melhor livro de fantasia de todos os tempos, e apresenta o leitor a um universo repleto de seres fantásticos, uma política envolvente e personagens icônicos.

Considerações Finais:

Gostou da nossa seleção de melhores livros de fantasia? Opina aqui logo abaixo se sim, e suas sugestões de livro de fantasia. Sua opinião é essencial para nós.

Fantasia é um gênero bastante envolvente e que merece todo crédito por conquistar fãs ao redor do mundo. Investir nesses livros como os próximos da lista pode ser uma escolha e tanto.

Até a próxima, cupomzeiros! Não deixe de conferir nossas próximas listas.

Clique para avaliar
[Total: 1 Nota: 5]
você pode gostar também
Comentários
>