Pedido de namoro: como tomar a iniciativa

Você sabia que até hoje ainda há quem acredite que pedir em namoro é coisa de homem? Aqui você vai entender melhor por que essa ideia está errada e a como tomar essa iniciativa.

O pedido de namoro é algo decisivo na vida de duas pessoas.  É um divisor de águas, um sinal de que o relacionamento está caminhando rumo ao amadurecimento e se tornando mais comprometido.

Mas erroneamente, algumas mulheres aprenderam que elas não podem tomar a iniciativa, no que diz respeito a um relacionamento com homem, ou então que só um tipo específico de mulher pode tomar iniciativa em relacionamento entre duas mulheres.

Mas será que isso está certo? A resposta antecipada é não, mas vamos explicar porque esse tipo de dúvida ainda existe.

Herança do patriarcado

O motivo da insegurança de muitas mulheres em relação a tomar iniciativa e pedir um homem ou outra mulher em namoro está relacionado ao que é chamado de herança do patriarcado. O patriarcado é um sistema milenar que configura a sociedade de uma forma que homens são privilegiados. Todas as características rotuladas como masculinas são elogiadas e as ditas femininas têm menos importância.

Por isso, a maior parte do protagonismo da história foi baseado na liderança de homens. Nessa configuração social, por exemplo, os homens sempre são os responsáveis pela família e por tomar a iniciativa em diversas instâncias da sociedade.

Pode parecer algo muito antigo e retrógrado, mas essa ideia ainda é muito disseminada até hoje. Nas diversas formas que o patriarcado assumiu, uma delas foi o que é chamado de patrilinear. Nessa perspectiva, os homens são sempre os legítimos herdeiros dos bens de uma família.

Buscava-se mesmo até parentes mais distantes que fossem homens para que pudesse assumir a herança da família, porque as mulheres não podiam ser responsáveis pelos negócios.

No clássico romance Orgulho e Preconceito da escritora britânica Jane Austen, que foi publicado em 1813 pela primeira vez, é possível ver esse conflito acerca da herança. O senhor Bennet que é o responsável pela sua família se vê desesperado, porque sabe que se morrer, a sua propriedade não vai ficar para a sua esposa e suas quatro filhas. A fortuna iria direto para um sobrinho que morava distante.

Por isso, a sua esposa, a senhora Bennet, tenta convencer as filhas para que alguma delas se case com o primo distante, a fim de que não fiquem desamparadas com a morte do pai. Leia o romance e vejo desfecho que a história toma.

A origem do patriarcado e os pedidos de namoro

Não se sabe quando esse sistema que oprime muito as mulheres teve origem. O que se sabe é que ele é antigo. Algumas pesquisas apontam que possivelmente na pré-história havia uma perspectiva com igualdade em relação aos gêneros. As coisas começaram a mudar a partir do desenvolvimento da agricultura.

Por volta do ano 4000 a. C. já era possível encontrar leis que desfavoreciam as mulheres em vários aspectos. Em algumas sociedades, os maridos podiam cancelar o casamento se a sua mulher fosse infértil. Ou ainda se as mulheres fossem infiéis, as punições podiam ser definidas pelos homens. O famoso Código de Hamurabi, na Mesopotâmia, anulava os direitos das mulheres de diversas formas.

Na Grécia Antiga, no diálogo de Platão Mênon, havia um trecho que resumia bem a crença sobre o papel do homem e o papel das mulheres:

Primeiro de tudo, se você pegar a virtude de um homem, é facilmente afirmado que a virtude de um homem é isto — que ele seja competente para gerir os assuntos de sua cidade, e para gerenciá-los de modo a trazer benefícios a seus amigos e prejudicar seus inimigos e tomar cuidado para evitar o sofrimento e prejudicar a si mesmo. Agora a virtude de uma mulher: não há nenhuma dificuldade em descrevê-la como o dever de ordenar bem a casa, cuidar da propriedade dentro de casa e obedecer a seu marido.

O silêncio das mulheres é explicável, mas não justificável

Sabe por que eu estou trazendo esse tanto de informações? Para que você não se sinta desconfortável por hesitar em uma questão como essa. As mulheres têm sido sistematicamente silenciadas ao longo da história. Crescer sem ouvir falar na escola das mulheres como grandes criadoras tem muito impacto no nosso imaginário.

A história explica porque as mulheres ainda se sentem inseguras sobre como tomar a iniciativa em um namoro. Mas isso não justifica a questão. A realidade pode ser mudada e você pode tomar a iniciativa e pedir um homem ou outra mulher em namoro.

Tomando a iniciativa no namoro

Em primeiro lugar, você não precisa se sentir inadequada por desejar pedir um homem ou outra mulher em em namoro. Uma mulher tomando a iniciativa em um pedido de namoro deveria ser a coisa mais natural. Quem não estiver disposto a ver dessa maneira não deve ser levado a sério. Mais à frente também haverá um tópico se você não estiver interessada em um homem, mas em outra mulher.

Namoro e aplicativos de relacionamento

Você já leu nosso texto sobre aplicativos de relacionamento? Lá você encontrará as principais plataformas que facilitam a interação com alguém que interessa você. Os aplicativos podem dar um ar maior de igualdade. Você pode simplesmente curtir o homem ou a mulher que você deseja e iniciar uma conversa sem precisar esperar que a outra pessoa tome a iniciativa.

Há um aplicativo chamado AdoteUmCara que simplesmente quer colocar as mulheres no centro da escolha. Os homens podem demonstrar interesse, mas não podem iniciar uma conversa com as mulheres. Ele é uma excelente plataforma para você treinar sua autonomia feminina.

Isso pode parecer arriscado, mas não tenha medo. É necessário se expor. Começar por um aplicativo que coloca você como protagonista é uma ótima maneira de você exercitar seu poder de iniciativa. O que você está esperando para baixar esse aplicativo?

O aplicativo pode ser apenas um início. Com o tempo você poderá se sentir mais desinibida e perceber que não precisa esperar a iniciativa de um homem ou de uma outra mulher. Se você tem o interesse na pessoa, você pode simplesmente pedi-la em namoro

Qual é o momento certo para fazer um pedido de namoro

O pedido de namoro não tem um tempo certo para ser feito. Isso vai depender de você. Lembre-se, nós estamos vivendo em um momento da história em que as mulheres podem ser ouvidas. Portanto, você precisa se ouvir e é compreensível que haja uma certa insegurança. Mas a questão do tempo não tem uma regra. Faça seus cálculos e use seu coração.

Você pode estar saindo com um rapaz há algum tempo, mas sem nenhuma declaração de compromisso. E em um dado momento você percebeu que o deseja para além de apenas só ficar, mas para um relacionamento sério.

Pedir em namoro é algo que você pode fazer de uma maneira súbita, ou então aos poucos. Você pode tanto chegar e dizer para ele que deseja estar em um namoro com ele, quanto pode fazer com que a relação se torne mais comprometida sem uma declaração explícita de namoro.

Por exemplo, você pode começar enviando mensagens dizendo o quanto você se sente feliz por tê-lo na sua vida. Pode começar a dizer que imagina o seu futuro ao lado dele e em determinado momento você pode deixar explícito seu pedido de namoro.

E se eu não estiver interessada em um homem, mas em uma mulher?

Duas mulheres sentadas
O amor pode assumir diversas configurações.

Você leu uma boa parte do texto até aqui e sentiu que o texto não focou em mulheres que se interessam apenas por mulheres, ou por mulheres também? Calma, este texto focou bastante em relacionamento heterossexual, porque é o tipo de relacionamento onde a tomada de iniciativa da mulher parece ser praticamente uma ameaça ao homem.

Por isso, o que se espera é que o relacionamentos entre duas mulheres caminhe por uma perspectiva, que seja muito diferente da maneira como ocorre no relacionamento entre um homem e uma mulher. Mas aí que pode também gerar um equívoco.

Existe algo chamado heteronormatividade. Essa palavra designa um sistema que busca configurar as relações sexuais no paradigma heterossexual. Sendo assim, até mesmo as relações que não são heterossexuais, são constrangidas a se comportarem desse modo.

Dessa maneira, coloca-se na mulher que seja masculinizada a responsabilidade se tomar a iniciativa em um namoro entre duas mulheres. Mas isso está absolutamente errado. Não existe uma hierarquia em que as mulheres que não são masculinizadas precisam ser passivas. Isso é apenas uma reprodução de um erro das relações heterossexuais.

Portanto, se você não é masculinizada e quer iniciar um namoro com outra mulher, você pode, sim, tomar a iniciativa. E se você for uma mulher masculinizada, você não deve se sentir ofendida se uma outra mulher que não é masculinizada tomar a iniciativa e te pedir em namoro.

E se eu levar um fora no pedido de namoro?

Um dos grandes medos ao se pensar arriscar em um pedido de namoro é o medo de levar um fora. Em outro local já falamos sobre como superar o término de um namoro. Lá tem dicas preciosas que são úteis para quem levar um fora também.

Mas o importante é você tentar. Caso contrário você pode passar o resto da sua vida se questionando como seria se você tivesse tomado a iniciativa e pedido a pessoa em namoro. Não tenha medo. Um fora é melhor do que não saber o que teria acontecido.

Se a outra pessoa te rejeitar, você pode aproveitar para se recompor e seguir adiante. Não vale a pena ficar chorando por quem teme a iniciativa de uma mulher.

Você pode gostar também

Damos valor à sua privacidade Nós e os nossos parceiros utilizamos tecnologias, como cookies, e processamos dados pessoais, como endereços IP e identificadores de cookies, para personalizar anúncios e conteúdos baseados nos seus interesses, avaliar o desempenho desses anúncios e conteúdos, bem como para obter informações sobre o público que os visualizou. Clique abaixo para consentir a utilização desta tecnologia e o processamento dos seus dados pessoais para estas finalidades. Pode mudar de ideias e alterar as suas opções de consentimento a qualquer momento voltando a este site. Aceito Mais detalhes