O que é a demissexualidade?

Você já ouviu falar em demissexualidade? Venha conhecer um pouco desse universo!

Bandeira com as cores roxa, branca, cinza e preta. Com um triângulo ao lado esquerdo. Representando o orgulho demissexual.
Bandeira que representa o orgulho demissexual.
Reprodução: https://pt.wikipedia.org/

Este é mais um daqueles textos que se propõe a explorar algo que não é muito conhecido. Embora a experiência da demissexualidade possa parecer alheia ao cotidiano, ela podeser mais comum do que seu nome propriamente dito. Vou explicar melhor que você vai me entender. É válido dizer que demissexuais não são pessoas que sentem atração pela cantora Demi Lovato.

Orientação sexual

A orientação sexual é uma compreensão que se preocupa em descrever a maneira como os seres humanos desenvolvem seus relacionamentos românticos e/ou sexuais. Porém ela se opõe à ideia de “opção sexual”, termo que denota muita ignorância sobre a complexidade da sexualidade humana, além de ser considerado grosseiro, pejorativo e que não deve mais ser utilizado.

A orientação sexual está intimamente ligada ao conceito de identidade sexual. Essa categoria diz repeito a como as pessoas se identificam de acordo com sua sexualidade (orientação sexual). Sendo assim, nós temos pessoas que se identificam como heterossexuais. Essas são as pessoas que se sentem atraídas pelo gênero oposto, que compõem a maior parte da população. Há as pessoas homossexuais, que sentem-se atraídas por pessoas do mesmo gênero. Ainda há também as pessoas bissexuais, que sentem atração por mais de um gênero.  Há também as pessoas assexuais, mas isso vai ser mais explorado a seguir.

Orientações do espectro assexual

A ideia mais corrente é que todo mundo sente atração sexual e no mesmo nível. No entanto, não é assim que acontece. Agimos como se todos estivéssemos no mesmo barco, mas não é. A realidade é mais dinâmica do que esse pensamento simplista oferece.  Porém se for para utilizar a metáfora do barco, devemos assumir que nem todos estão no mesmo compartimento.

Há uma divisão entre dois grupos no que diz respeito à sexualidade humana: os alossexuais e os assexuais. O primeiro grupo diz respeito às pessoas que se sentem sexualmente atraídas por outras com regularidade (heterossexuais, homossexuais, bissexuais). Mas o segundo grupo diz respeito às pessoas que não sentem atração sexual em hipótese alguma, às pessoas que sentem parcialmente ou de maneira condicionada.

A assexualidade é um termo guarda-chuva que engloba várias subclassificações. Também podem ser chamadas de orientações do espectro assexual.

Alguns exemplos de orientações do espectro assexual

Dentro dessa categoria há pessoas que são chamadas assexuais estritas, que são as que não sentem atração sexual em nenhum momento ou circunstância por nenhum dos gêneros. Geralmente quando se fala a palavra assexual esse é o primeiro tipo que vem à mente das pessoas. São os mais populares e reconhecidos dentro da categoria assexual.

No entanto, há pessoas que sentem atração sexual de maneira rara ou condicionada são chamadas de grayssexual. Essas pessoas estão no que se chama de área cinzenta e também pode haver subcategorias. “Gray” vem de “cinza” em inglês. Cinza porque essas pessoas não podem ser categorizadas como sentindo atração sexual na mesma frequência que as maiorias das pessoas. Mas também não podem ser classificadas como não sentindo nenhum tipo de atração sexual como assexuais estritos. Entre os dois extremos há essa área cinzenta.

Há as pessoas frayssexuais. Elas só sentem atração sexual quando não há um vínculo estabelecido. O youtuber Leonel já relatou sua experiência com a frayssexualidade. Ele contou que demorou muito tempo para se entender assim. Mas a compreensão veio com a ajuda de um grupo de pessoas assexuais que o ajudou.  Isso porque ele se sentia angustiado por não se entender. Mas quando descreveram a ele a frayssexualidade, ele se identificou imediatamente. Ele relata que só consegue sentir-se atraído por quem não tem vínculos e com quem tem vínculo não consegue se sentir atraído.

Uma outra classificação que vale a pena ser mencionada são as pessoas que se identificam como quoissexuiais. Elas não sabem distinguir se sentem atração sexual, sensual ou estética.  Não se sentem confortáveis em outra categoria e aderem a essa identidade sexual.

Para além dessas categorias

Há várias outras categorias dentro da assexualidade, no entanto, o objetivo aqui não é descrever todos os tipos de configurações possíveis. Porque se assim fosse gastaríamos muito mais tempo explorando esse universo tão extenso que é o da assexualidade.

Dentro desse universo há pessoas que por exemplo acessam pornografia, porém, há outras  pessoas que têm tanta aversão que até falar de sexo é algo incômodo. Dentro desse grupo de pessoa que acessa pornografia é comum as pessoas não se verem participando de uma relação sexual, apenas utilizando recursos audiovisuais como estímulo para se masturbarem. Há pessoas assexuais se masturbam sem nenhum estímulo externo e há as que não se masturbam em hipótese alguma.

Enfim, demissexualidade

Você viu o quanto a sexualidade humana é dinâmica e um pouco do que se costuma chamar de espectro  de orientação assexual. Há múltiplas configurações que geralmente não são conhecidas. As pessoas com frequência se apegam às identidades sexuais mais conhecidas e acham que elas as descrevem da melhor maneira. No entanto, ao entrarem em contato com várias outras possibilidades como acontecem com as pessoas pansexuais, elas acabam aderindo a outra identidade.

A demissexualidade pode ser entendida dentro do espectro de orientações assexuais. Isso porque a definição de demissexual está relacionada a uma pessoa que só sente atração sexual por alguém com quem conseguiu estabelecer algum vínculo previamente.

A natureza do vínculo pode variar de acordo com cada pessoa demissexual.  Por exemplo, algumas pessoas só conseguem se sentir sexualmente atraídas depois de uma afinidade intelectual. Para outras, o sentimento de segurança que é gerado durante a relação é crucial para que haja algum interesse sexual. No entanto, para algumas a natureza do vínculo tem que ser essencialmente romântico.

Há outras possibilidades de vínculos, no entanto, o que é principal para se entender essa orientação sexual é que a atração sexual não se dá de maneira imediata, mas é condicionada por um vínculo que pode ter natureza diversa.

Demissexuais em um mundo líquido

Umas das mentes que revolucionou o Ocidente na maneira de pensar foi o sociólogo Zygmunt Bauman.  Ele percebeu um novo paradigma na sociedade na virada do século 20 para o século 21. O que ele conseguiu compreender é que na mudança dos séculos as estruturas e as relações, que antes eram feitas para durar, agora assumiam uma forma líquida, isto é, móvel e instável.

 

Os insights do sociólogo são essenciais para se entender as novas configurações relacionais. Em seu livro Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos, ele se dedicou a explorar os novos padrões dos relacionamentos e suas múltiplas facetas.

Algo observado pelo sociólogo é a maneira efêmera com que os relacionamentos são constituídos na contemporaneidade. A ideia de durar até que a morte os separe se tornou obsoleta. Os padrões do amor foram abaixados e as pessoas passaram a denominar de “amor” relações fugazes.

Sendo assim, a qualidade foi substituída pela quantidade. As pessoas tiveram mais relacionamentos em um curto período de tempo. No entanto, esses relacionamentos não são necessariamente mais satisfatórios.

É dentro dessa configuração que pessoas demissexuais se veem incompreendidas. As pessoas exigem delas mais rapidez e as pressionam. Mas elas não conseguem ser como as demais pessoas. Para elas, o vínculo está antes de qualquer relação sexual.

Equívocos sobre demissexualidade

Como toda sexualidade que não tem muita visibilidade, a demissexualidade está sujeita a equívocos. É muito comum depois de algumas informações as pessoas ainda pensarem características erradas sobre pessoas demissexuais. Pode haver toda uma romantização dessa orientação sexual, como se ela fosse mais fácil de ser vivida. Vejamos alguns dos equívocos.

Pessoas demissexuais só conseguem sentir atração sexual quando amam alguém

A natureza do vínculo é múltipla. Para algumas pessoas pode ser romântico, para outras não. Não se trata necessariamente de amor, mas de um vínculo que precede a atração sexual.

Não há necessidade de dar um nome para isso

Uma reação comum é as pessoas dizerem que sempre houve experiências de pessoas que não se sentiram sexualmente atraídas a princípio e que só foi possível depois de um vínculo. Que isso é muito comum e não merece receber um nome, porque isso só vai dividir mais as pessoas.

Mas, ao contrário do que essa oposição faz parecer, reivindicar um rótulo faz com que as pessoas sejam reconhecidas por outras e criem laços a partir da sua diferença que têm em comum. Sendo assim, o ato de nomear é essencial para a visibilidade e reconhecimento das diferenças.

Pessoas demissexuais têm problemas de saúde

Outro erro comum é achar que pessoas demissexuais têm problemas de saúde, por isso não conseguem desenvolver uma atração sexual imediata. As pessoas especulam sobre uma ausência de hormônio ou algo semelhante que possa levar alguém a esse estado.

No entanto, essa é mais uma visão errada. Pessoas demissexuais podem não sentir desejos sexuais por outras pessoas, mas isso não afeta a libido em si. Algumas pessoas demissexuais gastam sua energia sexual se masturbando. Enfim, elas são muito saudáveis.

Pessoas demissexuais escolheram esperar

No Brasil, há um movimento forte pela castidade em que as pessoas se comprometem a não ter relações sexuais até o casamento. A demissexualidade não tem nada a ver com isso. Ela não é nenhum tipo de voto religioso, sendo assim, pessoas não religiosas podem ser demissexuais.

Isso é suficiente para iniciar uma conversa sobre demissexualidade.

 

Se você gostou do nosso conteúdo sobre demissexualidade, aposto que vai amar outros artigos do nosso blog! Aqui, você encontra diversos posts que tratam do importante universo LBTQI+. Dê uma olhada e aproveite!

Você pode gostar também

Damos valor à sua privacidade Nós e os nossos parceiros utilizamos tecnologias, como cookies, e processamos dados pessoais, como endereços IP e identificadores de cookies, para personalizar anúncios e conteúdos baseados nos seus interesses, avaliar o desempenho desses anúncios e conteúdos, bem como para obter informações sobre o público que os visualizou. Clique abaixo para consentir a utilização desta tecnologia e o processamento dos seus dados pessoais para estas finalidades. Pode mudar de ideias e alterar as suas opções de consentimento a qualquer momento voltando a este site. Aceito Mais detalhes